Redação Pragmatismo
Eleições 2018 09/Oct/2018 às 15:03 COMENTÁRIOS

Justiça manda remover 35 notícias falsas contra Fernando Haddad

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determina retirada de 35 notícias falsas contra Haddad. As plataformas onde os conteúdos foram publicados têm até 24h para remover as mensagens do ar

Justiça remover notícias falsas Fake news Fernando Haddad
Montagem: Pragmatismo Político

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou hoje (6) a retirada de 35 conteúdos falsas ou ofensivos contra a candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República e sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB).

A decisão foi proferida pelo ministro Carlos Horbach. As plataformas onde os conteúdos foram publicados têm até 24h para remover as mensagens do ar.

A coligação Brasil Feliz de Novo, encabeçada por Haddad, entrou com representação pedindo a derrubada de 115 publicações, argumentando tratar-se de conteúdo enganoso ou ofensivo ao concorrente.

Elas foram identificadas a partir de um canal de denúncias aberto pela candidatura.

Saiba mais:
Filho de Bolsonaro volta a espalhar informações falsas sobre Haddad
Por que Bolsonaro fugiu do compromisso para combater fake news?
Bolsonaro chama Haddad de canalha ao recusar acordo de combate às fake news
Manuela D’Ávila é a principal vítima de fake news na eleição de 2018
“Mamadeira erótica de Haddad” – a fake news que viralizou nas redes sociais
Imagem falsa de Manuela D’Ávila com blusa ‘Jesus é travesti’ viraliza nas redes
‘O pior prefeito do Brasil’: como se constrói uma manipulação
Datafolha: 61% dos eleitores de Bolsonaro se informam pelo WhatsApp
Campanha de Bolsonaro espalha fake news sobre imagens do #EleNão

A representação produzida pela assessoria jurídica no dia 4 de outubro trouxe 92 páginas de vídeos, imagens e textos alegadamente enganosos ou ofensivos.

O pedido incluía em sua maioria postagens nas redes sociais Facebook e Twitter, na plataforma YouTube e também em sites de veículos de mídia, como o portal do jornal paranaense Gazeta do Povo e da rádio Jovem Pan.

Dos 115 conteúdos apontados como falsos, 35 foram avaliados pelo ministro Carlos Horbach como irregulares frente à legislação eleitoral. Ao todo, foram 33 publicações na rede social Facebook e dois vídeos divulgados na plataforma YouTube.

Segundo o ministro do TSE, parte das publicações denunciadas envolvia opinião de eleitores contrários à campanha de Haddad ou comentários críticos de veículos de mídia, bem como de colunistas. Nessas situações, argumentou que não caberia a remoção, pois tais conteúdos não estariam violando a legislação.

O ministro determinou também que o Facebook e o Google disponibilizem os IPs e informações sobre os responsáveis pelas publicações e os dados cadastrais dos donos dos perfis ou controladores das páginas.

Leia também:
Eleições 2018 mostram que o Brasil se inclina à direita
“Um dos caminhos do PT agora é assumir a bandeira da civilização”
Há uma intervenção autoritária em marcha no Brasil hoje
O fascismo é um mecanismo de contágio
As eleições de 2018 e a emergência da luta antifascista no Brasil
Brasil vive fenômeno político sem precedentes
Como diferenciar a direita da esquerda?
Quem quer ser um cidadão de bem?

Agência Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários