Redação Pragmatismo
Eleições 2018 19/Oct/2018 às 12:17 COMENTÁRIOS

PSDB recebeu proposta ilegal para disparar mensagens para 80 milhões

PSDB recebeu proposta ilegal para disparar mensagens para 80 milhões no WhatsApp. Revelação foi feita pelo consultor de marketing digital da campanha de Geraldo Alckmin, que tomou a decisão de tornar a oferta pública para alertar sobre o tamanho do problema

PSDB proposta ilegal disparar mensagens

Jornal GGN

O PSDB recebeu uma oferta de uma empresa que prometeu disparar no WhatsApp mensagens em favor de uma candidata do partido, usando uma base de dados que atingiria 80 milhões de pessoas.

A revelação foi feita pelo consultor de marketing digital da campanha de Geraldo Alckmin, Marcelo Vitorino, ao Globo. Ele disse ao jornal que tomou a decisão de tornar a oferta pública para alertar para o uso indevido do WhatsApp durante as eleições de 2018.

Saiba mais:
As 10 notícias falsas mais populares da eleição são a favor de Bolsonaro
Datafolha: 61% dos eleitores de Bolsonaro se informam pelo WhatsApp

A legislação eleitoral permite que candidatos e partidos utilizem as redes sociais para enviar mensagens aos eleitores cadastrados em base de dados do próprio partido ou candidato. Mas utilizar base de terceiros é proibido, segundo a reportagem.

Isto porque as empresas que oferecem esse serviço podem ter construído a base de dados por meios ilícitos. Cobradoras ou funcionários de operadoras telefônicas podem ter vazado ou vendido números de telefone clandestinamente.

Na quarta (18), a Folha de S. Paulo revelou que empresas estão disparando mensagens contra o PT no WhatsApp, beneficiando a campanha de Jair Bolsonaro (PSL). Além de ser uma operação ilegal, porque doação empresarial foi proibida no Brasil, não há como saber se a base de dados utilizada também é irregular.

Segundo O Globo, o consultor do PSDB não revelou qual seria o valor do serviço ofertado pela agência DOT Group.

Procurada, a agência negou que tenha prometido uma base própria de contatos que alcance de 80 milhões de pessoas. O representante da empresa afirmou que a ideia era utilizar a lista do partido, que seria de 4 milhões de pessoas.

Leia mais aqui.

Leia também:
Rosa Weber é cobrada por artistas: “Senhora ministra, qual a posição do TSE?”
Diretor do Datafolha admite manipulação no resultado do 1º turno
Antes do Caixa 2, campanha de Bolsonaro já era acusada de vários crimes
TSE liberou Bolsonaro a realizar campanha eleitoral mais sórdida da história
Polícia Federal investiga ameaça de bolsonarista a Rosa Weber
General bolsonarista pretende “destituir e prender vários ministros do STF”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários