Redação Pragmatismo
Eleições 2018 18/Oct/2018 às 19:15 COMENTÁRIOS

Diretor do Datafolha admite manipulação no resultado do 1º turno

Diretor do Datafolha admite que ação de empresários no WhatsApp pode ter influenciado resultados do 1º turno da eleição. Jair Bolsonaro disse que não tem controle sobre quem firmou contratos milionários ilegais para fazer disparos em massa na rede social

diretor datafolha manipulação

Mauro Paulino, diretor do instituto de pesquisa Datafolha, admitiu que os resultados do 1º turno das eleições de 2018 podem ter sido manipulados por empresários no WhatsApp.

Segundo Paulino, as surpresas no primeiro turno das eleições no Rio, em Minas e no Distrito Federal podem estar relacionadas à revelação pela Folha de S.Paulo nesta quinta-feira de que empresários derramaram milhões de reais para favorecer Bolsonaro e seus aliados.

A reportagem apurou que as empresas preparam uma grande operação para a próxima semana, anterior do segundo turno.

Paulino repercutiu a reportagem afirmando que as pesquisas de intenções de voto evidenciaram os movimentos de última hora da opinião pública:

Em seguida, o diretor do Datafolha acrescentou que seu comentário é uma constatação técnica e factual, sem inferências (deduções).

A matéria trata de um grupo de empresários – entre eles Luciano Hang, dono da Havan – que está contratando empresas para disparar fake news contra o PT para a campanha de Jair Bolsonaro (PSL). A prática é ilegal, pois se trata de doação de campanha por empresas, vedada pela legislação eleitoral, e não declarada.

Segundo Haddad, o jornal comprova que “o meu adversário, Jair Bolsonaro, deputado federal há 28 anos, criou uma organização criminosa de empresários que, mediante caixa dois, dinheiro sujo, está patrocinando mensagens pelo WhatsApp mentirosas”, disse.

No Rio de Janeiro, o candidato Wilson Witzel (PSC) surpreendeu ao chegar em primeiro lugar ao segundo turno, com 41% dos votos válidos, ultrapassando o líder nas pesquisas Eduardo Paes (DEM), com quem disputa o segundo turno.

A eleição para o Senado Federal no Rio também surpreendeu elegendo Arolde de Oliveira (PSD), que era o quarto colocado na pesquisa Ibope divulgada na véspera da eleição. O líder evangélico desbancou o favorito à segunda cadeira do Senado, Cesar Maia, e Lindbergh Faria, que era o terceiro nas pesquisas. Além de Arolde, Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidenciável, foi eleito ao Senado pelo Rio.

Após a reportagem, Jair Bolsonaro falou que não tem controle se empresários firmaram contratos de cerca de R$ 12 milhões para fazer disparos em massa no WhatsApp. Ele reconheceu que as ações são ilegais e insinuou que podem ser armação da esquerda para prejudicá-lo.

“Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência. Pode ser gente até ligada à esquerda que diz que está comigo para tentar complicar a minha vida me denunciando por abuso de poder econômico”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários