Redação Pragmatismo
Justiça 04/Apr/2018 às 17:18 COMENTÁRIOS

Chefe da Aeronáutica afirma que "não é momento de impor nossa vontade"

Autoridade máxima da Aeronáutica brasileira se manifesta menos de 24 horas depois da declaração do Chefe do Exército. Em declaração bem mais ponderada, Comandante Nivaldo Luiz Rossato afirma que o povo está “polarizado” e ordena seus subordinados a respeitar a Constituição

Chefe da Aeronáutica afirma impor vontade democracia lula
Comandante Nivaldo Luiz Rossato (reprodução)

O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, divulgou nesta quarta-feira, 4, boletim interno à Força Aérea Brasileira no qual afirma que o povo está “polarizado” e ordena seus subordinados a respeitar a Constituição e não se “empolgar a ponto de colocar convicções pessoais acima das instituições”.

Tentar impor nossa vontade ou de outrem é o que menos precisamos neste momento”, diz o comandante. “Seremos sempre um extremo recurso não apenas para a guarda da nossa soberania, como também para mantermos a paz entre irmãos que somos.”

A publicação ocorreu um dia depois de o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, repudiar a impunidade em suas redes sociais, às vésperas do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) de um recurso contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?”, questionou o general.

Saiba mais:
Villas Bôas promove a maior chantagem à Justiça brasileira desde a ditadura militar
Generais respondem chefe Villas Bôas: “aguardamos suas ordens”
Juristas e políticos reagem ao post do General Villas Bôas

No comunicado, enviado a todos os militares da FAB, Rossato cobra que os poderes constituídos atuem com preceitos “éticos e morais” e prega confiança neles: “Os poderes constituídos sabem de suas responsabilidades perante a nação e devemos acreditar neles”.

Ele diz que “o Brasil amanhece hoje prestes a viver um dos momentos mais importantes da sua história”, no qual “serão testados valores que nos são muito caros, como a democracia e a integridade de nossas instituições”.

Nestes dias críticos para o País, nosso povo está polarizado, influenciado por diversos fatores. Por isso é muito importante que todos nós, militares da ativa ou da reserva, integrantes das Forças Armadas, sigamos fielmente à Constituição, sem nos empolgarmos a ponto de colocar nossas convicções pessoais acima daquelas das instituições”, escreveu o brigadeiro.

No texto, Rossato não faz menção direta às críticas do general Villas Bôas no Twitter, mas afirma que “os ânimos já acirrados intensificam-se ainda mais com a velocidade das mídias sociais, onde cada cidadão encontra espaço para repercutir a sua opinião, em prol do que julga ser o País merecedor”.

O Brasil merece que seus cidadãos se respeitem e sejam respeitados, que os poderes constituídos atuem em consonância com preceitos éticos e morais dos quais possamos nos orgulhar, que os cidadãos possam ir e vir em segurança, além de tantos outros direitos básicos que hoje o Brasil ainda não oferece para uma boa parte de seu povo”, escreveu o brigadeiro.

Leia também:
Rede Globo incita golpe militar e coloca corda no pescoço dos ministros do STF
Michel Temer ultrapassa fronteira que separa estado de direito de ditadura
10 razões para não ter saudade da ditadura militar
Vídeo de 1975 mostra como a Globo elogiava a ditadura com a voz de Cid Moreira
Nomes de artistas que colaboraram com a ditadura são revelados em documento
Histórias pouco conhecidas: os evangélicos e a ditadura militar no Brasil

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários