Redação Pragmatismo
Rio de Janeiro 14/Dez/2018 às 17:34 COMENTÁRIOS
Rio de Janeiro

Polícia faz apreensões na casa do vereador acusado de matar Marielle Franco

Publicado em 14 Dez, 2018 às 17h34

Polícia faz apreensões na casa e no gabinete do vereador acusado de participação na morte de Marielle Franco. Em comunicado, o parlamentar diz ser inocente e afirmar estar indignado com a ação e a exposição de sua família

Polícia apreensões vereador Marcello Siciliano matar Marielle Franco
Marcello Siciliano, vereador do Rio de Janeiro (Imagem: CVRJ)

O vereador do Rio Marcello Siciliano (PHS) disse que não “sabe o que está acontecendo” ao prestar depoimento na Polícia Civil, na manhã desta sexta-feira, 14, sobre o suposto envolvimento dele no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL).

Siciliano foi ouvido sobre um esquema de grilagem de terras, que teria motivado o crime.

Relembre:
Vereador e ex-PM estão envolvidos em morte de Marielle, diz testemunha
Marcello Siciliano rebate acusações de ter sido mandante da morte de Marielle
Câmeras foram desligadas na véspera da execução de Marielle Franco
Duas testemunhas do assassinato de Marielle não foram ouvidas pela polícia

Em entrevista, o secretário da Segurança Pública do Estado do Rio, general Richard Nunes, afirmou que Marielle foi morta porque milicianos acreditaram que ela poderia atrapalhar os negócios ligados à grilagem de terras na zona oeste do Rio.

Fui pego de surpresa. Estou aqui para tomar conhecimento. Estou revoltado com isso tudo e continuo indignado com essa acusação maligna que fizeram a meu respeito”, afirmou o vereador.

A Polícia Civil também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do vereador, na Barra da Tijuca, na zona oeste. Na residência foram aprendidos um tablet, um computador, HD e documentos.

Leia também:
Policial pede lanche ‘X-Marielle’ e vice da OAB completa: “com muitas azeitonas”
“Vou me inteirar e ver o que podemos fazer”, diz Moro sobre assassinato de Marielle
Assassinato de Marielle Franco é o mais misterioso em décadas
Morte de Marielle Franco “envolve agentes do Estado”, admite ministro da Segurança
A origem da principal peça de campanha difamatória contra Marielle

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no InstagramTwitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Thiago Melo Teixeira Postado em 06/Jul/2019 às 14:03

    Os assassinos investigando o assassinato, só no Brasil de Bolsonaro mesmo.