Redação Pragmatismo
Eleições 2018 22/Oct/2018 às 20:25 COMENTÁRIOS

68 páginas e 43 contas pró-Bolsonaro são banidas pelo Facebook

Facebook tira do ar rede com 68 páginas e 43 contas pró-Bolsonaro que, somadas, acumulavam 16 milhões de curtidas. Páginas eram conhecidas como "fazendas de anúncios" e algumas delas foram financiadas por aliado e amigo pessoal de Bolsonaro

páginas banidas facebook Fernando Fracischini
Amigo pessoal de Bolsonaro, o deputado Fernando Fracischini (dir) financiou páginas que foram bloqueadas pelo Facebook

O Facebook anunciou nesta segunda-feira (22) o desmembramento de uma rede de contas e páginas de apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Foram retiradas do ar 68 Páginas e 43 contas da rede social que replicavam postagens favoráveis ao presidenciável da extrema-direita.

O Facebook informou que os responsáveis por essas páginas usavam contas falsas ou múltiplas contas com os mesmos nomes, violando políticas de autenticidade e de spam.

Controladas por um grupo chamado Raposo Fernandes Associados (RFA), essas páginas publicavam uma grande quantidade de artigos caça-cliques, com o objetivo de direcionar as pessoas para seus sites fora do Facebook.

Esses sites, por sua vez, têm grande número de anúncios e pouco conteúdo, sendo chamadas de “fazendas de anúncios”. Segundo a empresa, a decisão de remover as páginas e contas deveu-se ao comportamento delas, e não ao conteúdo.

Entre algumas das páginas mais populares dessa rede pró-Bolsonaro estavam “Correio do Poder”, “Movimento Contra Corrupção”, “Folha Política” e “TV Revolta”.

A Raposo Fernandes Associados faz parte de grupo administrado pela empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais, de propriedade do advogado Ernani Fernandes Barbosa Neto e de Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves.

Todas as páginas bloqueadas, somadas, acumulavam cerca de 16 milhões de curtidas.

Financiamento

Documentos já haviam revelado que as páginas administradas por Ernani e sua esposa receberam financiamento de um aliado e amigo pessoal de Jair Bolsonaro, o delegado Fernando Fracischini (PSL-PR).

Leia trecho da reportagem publicada em maio:

Seis notas fiscais pagas pelo gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR), o Delegado Francischini, apontam que o parlamentar destinou R$ 24 mil de sua cota parlamentar para uma empresa em nome de um casal que administra uma rede de sites apontados como veículos que propagam “fake news”.

As notas aparecem no Portal de Transparência da Câmara dos Deputados e foram emitidas pela empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais para “divulgação da atividade parlamentar”. Foram pagos R$ 4.000 mensais entre dezembro e março, e outros dois pagamentos no mesmo valor foram realizados em abril.

A Novo Brasil Empreendimentos Digitais tem como sócios registrados junto à Receita Federal a advogada Thais Raposo Chaves e seu marido, Ernani Fernandes. Ernani também aparece como responsável pelo domínio do site de conteúdo político engajado Folha Política.

Desde dezembro, a ‘Folha Política’ publicou em suas páginas diversos textos em que cita o deputado Francischini. Eles têm títulos como “Delegado Francischini fala ‘na lata’ o que pensa de Lula” ou “Delegado e Bolsonaro apresentam projeto de lei para acabar com privilégios para ex-presidentes”.

Em janeiro, o site também publicou um vídeo com o título “URGENTE: Em transmissão ao vivo, Bolsonaro anuncia candidatura pelo PSL”. Além de companheiro de partido, Francischini é um dos principais aliados políticos do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência da República. (leia a íntegra e vejas as notas fiscais aqui).

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários