Redação Pragmatismo
Eleições 2018 08/Oct/2018 às 13:23 COMENTÁRIOS

Bolsonaro diz que só não venceu eleição no 1º turno por causa das urnas eletrônicas

A mesma urna eletrônica que consagrou seu filho como o deputado federal mais votado do Brasil e que colocou o seu partido na condição de detentor da 2ª maior bancada da Câmara

Bolsonaro Paulo Guedes urna eletrônica

Mal havia sido proclamado o resultado do 1º turno da eleição presidencial de 2018 e Jair Bolsonaro já disseminava a sua primeira fake news do segundo turno.

Em seu primeiro pronunciamento, o candidato voltou a questionar as urnas eletrônicas e disse que, se não houvessem ocorridos problemas ao longo da votação, teria sido eleito presidente.

“Recebemos muitas críticas de urnas. Algumas pessoas votavam para governador e se encerrava o voto. Outras apertavam o 1 e aparecia o candidato da esquerda [Haddad]”,’ disse Bolsonaro durante uma transmissão ao vivo transmitida em seu perfil no Facebook.

“Se esse problema não tivesse ocorrido, se tivesse confiança no sistema eletrônico, já teríamos o nome do novo presidente. O que está em jogo é a nossa liberdade”, afirmou.

Bolsonaro esquece de mencionar que a mesma urna eletrônica que ele critica, consagrou seu filho, Eduardo, como o deputado federal mais votado do Brasil e colocou o seu partido, PSL, na condição de detentor da 2ª maior bancada da Câmara.

O pronunciamento de Bolsonaro foi feito ao lado de Paulo Guedes, seu guru econômico e provável ministro da Fazenda caso seja eleito.

Bolsonaro referia-se a vídeos falsos

Ao longo do dia circulou pelas redes sociais um vídeo de uma suposta urna em que, ao ser digitado o número “1”, a urna completaria automaticamente com o “3”, para formar o número do candidato do PT.

Ainda durante o dia, a Justiça Eleitoral afirmou que o vídeo é falso e que não há registro de urna com esse problema.

Minutos após a fala de Bolsonaro, a ministra Rosa Weber, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), afirmou que eventuais acusações de fraudes nas urnas eletrônicas devem ser enfrentadas com “tranquilidade”.

Segundo Rosa Weber, o TSE atuará nesses casos apenas de houver representação formal à Justiça.

“Preocupação sempre nós temos, mas nós temos que enfrentar nossas preocupações com tranquilidade. Num estado democrático de direito, o bom é isso, que as pessoas possam se expressar”, disse. “As pessoas têm direito a ter suas opiniões”, afirmou a ministra.

Em um dos vídeos que viralizou nas redes sociais, um eleitor de Bolsonaro filma a urna eletrônica e digita ’17’, mas na tela aparece ‘voto nulo’. No entanto, o fã do capitão digitou o número no local destinado ao candidato a governador.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários