Redação Pragmatismo
Justiça 13/Jul/2018 às 16:27 COMENTÁRIOS

Medidas de exceção do Judiciário substituem ditaduras militares, diz jurista

Diferentemente das ditaduras militares do passado, os mecanismos de repressão autoritária se sofisticaram, e hoje se dão no interior da própria democracia, através de medidas de exceção tomada pelo Judiciário

Medidas de exceção do Judiciário substituem ditaduras militares Lula prisão Pedro Serrano Lava Jato

RBA

Diferentemente das ditaduras militares do passado, os mecanismos de repressão autoritária se sofisticaram, e hoje se dão no interior da própria democracia, através de medidas de exceção tomada pelo Judiciário. Um dos exemplos dessas medidas é a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A avaliação é do jurista e professor de Direito Constitucional da PUC-SP, Pedro Serrano, em debate realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) nesta quinta-feira (12).

A prisão do ex-presidente Lula é parte da mesma estrutura que leva ao genocídio da juventude negra e pobre nas periferias das grandes cidades. Também tem muita relação com o impeachment e com as perseguições a líderes de movimentos sociais e sindicatos, defensores de direitos humanos e também a outros líderes políticos de esquerda em toda a América Latina“, afirmou Serrano à repórter Michelle Gomes, para o Seu Jornal da TVT, durante o evento “A ordem é a desordem judicial“.

Após os episódios do último domingo (8), envolvendo os desembargadores do TRF4, o juiz Sergio Moro e a Polícia Federal em torno de um habeas corpus ao ex-presidente Lula, Serrano disse que ficou claro que muitos juízes buscam na lei justificativas para amparar seus atos políticos. Ele disse ainda que o cenário para as eleições deste ano não é animador, e que o candidato que for eleito terá graves problemas de governabilidade.

A gente já sofreu uma ditadura, que foi a ditadura militar. Não podemos nos submeter agora a uma ditadura do Judiciário“, diz o presidente do metalúrgicos do ABC, Wagner Santana.

Leia também:
Sergio Moro ficou nu no hospício jurídico
O batom na cueca que faltava para desmascarar Sergio Moro
Professora desmente tese do ‘conflito de competência’ para barrar libertação de Lula
Lula permaneceu em “cárcere privado” apenas pelos gritos de Sergio Moro
Manobra de Sergio Moro para manter Lula preso é própria de quadrilha
Sergio Moro comete crime ao desobedecer ordem de desembargador

Assista à reportagem do Seu Jornal da TVT:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários