Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 21/Jun/2018 às 18:53 COMENTÁRIOS

Rússia proíbe entrada de torcedor argentino que insultou menor

Após pedido de governo de Argentina, Rússia veta entrada de torcedor de 47 anos que insultou menina de 15 com conteúdo de teor sexual. Escândalo veio à tona horas antes de a seleção argentina ser derrotada por 3 a 0 contra a Croácia

torcedor da argentina rússia
O torcedor da Argentina Fernando Penovi

A Rússia proibiu um torcedor argentino de 47 anos de assistir aos jogos da Copa do Mundo. A decisão aconteceu depois de um pedido oficial do governo da Argentina. A informação foi confirmada pelo diretor de segurança de espetáculos futebolísticos do Ministério da Segurança, Gilberto Madero.

Fernando Penovi gravou um vídeo insultando uma menina russa de 15 anos. Nas imagens, o homem induz a jovem a proferir palavras de teor sexual, a exemplo do que já foi feito por grupos de brasileiros.

No vídeo, o argentino faz a garota russa dizer “olá argentinos, venham para cá. Quero chupar pau”. E encerra chamando a garota de “linda”.

“Pedimos imediatamente que esta pessoa, por ser desonesta e indecente, fique sem a possibilidade de entrar nos estádios durante todo o Mundial. Nos dá pena como argentinos ver uma coisa assim, quando há milhares tendo um comportamento exemplar”, disse o diretor Gilberto Madero.

Nesta quarta (20), a representação russa em Buenos Aires exigiu um pedido de desculpas do homem que aparece nas imagens.

“A embaixada da Rússia na Argentina está profundamente indignada com esse disparate obsceno e ofensivo cometido, segundo as informações difundidas nas redes sociais, por um turista estrangeiro provavelmente proveniente da Argentina. Esperamos que esta pessoa tenha coragem para apresentar seus pedidos de desculpas publicamente”, divulgou a entidade, no Twitter.

Em resposta, a embaixada argentina em Moscou, também por meio da rede social, comunicou que “rechaça a utilização das diferenças idiomáticas para faltar com o respeito aos anfitriões da Rússia.”

O agressor, que é dono de uma concessionária de carros no bairro de Wilde, província de Buenos Aires, ainda não se pronunciou sobre o escândalo que veio à tona horas antes de a seleção argentina ser derrotada por 3 a 0 contra a Croácia, em partida que pode ter significado a eliminação da equipe no mundial de 2018.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários