Redação Pragmatismo
Contra o Preconceito 08/May/2018 às 14:53 COMENTÁRIOS

Guns N’ Roses retira música racista e homofóbica de álbum clássico

Banda de rock Guns N’ Roses retira música de álbum clássico por racismo, homofobia e xenofobia

Guns N’ Roses retira música racista e homofóbica

A banda de rock Guns N’ Roses está preparando um “super álbum” para os fãs. Intitulado Appetite for destruction: Locked N’ Loaded Edition, o material virá em um box de luxo, com quatro discos e um Blu-Ray, acompanhado por um livro de 96 páginas, como fotos inéditas do arquivo pessoal do vocalista Axl Rose, além de sete LPs e sete singles.

No entanto, eles decidiram remover a música One In a Million do projeto após acusações de racismo e homofobia em sua letra. A faixa pertenceu ao álbum G N ‘R Lies, de 1988, que está incluso na reedição dos clássicos. As informações são do The Industry Observer.

Polícia e negros, isso mesmo / Saiam do meu caminho / Não preciso comprar nenhuma das suas correntes de ouro hoje / Agora não preciso de braceletes presos na frente das minhas costas / Só preciso da minha passagem até então / Vê se me dá uma folga”, diz uma parte da música.

Enquanto outro trecho também é apontado como xenofóbico: “Imigrantes e bichas / Eles não fazem sentido para mim / Eles vêm para o nosso país / E acham que farão o que quiserem / Como dar início a um mini-Irã / Ou espalhar alguma maldita doença / E eles falam de tantas malditas maneiras / É tudo grego para mim”.

Appetite for destruction: Locked N’ Loaded Edition será lançado no dia 29 de junho. Serão 73 músicas, sendo 49 inéditas, distribuídas em quatro CD’s e 7 vinis de 12 polegadas.

Leia também:
Desnudando o machismo em letras de músicas brasileiras
Jorge Vercillo se diz indignado com o ‘nível baixíssimo’ da música brasileira
Grammy 2018: Kendrick Lamar coloca soldados para marchar contra o racismo
Frase de cantora em programa de TV reacende discussão sobre o “racismo reverso”
Cantora brasileira acusada de fazer vídeo racista pede desculpas
Meninos da Bahia sofrem preconceito após vencerem concurso musical
Argentinos reclamam de racismo em música de jogadores alemães
Billie Holiday e o racismo nos EUA: gosto amargo de intolerância
Estado de Minas

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários