Redação Pragmatismo
Racismo não 30/Jan/2018 às 14:34 COMENTÁRIOS

Grammy 2018: Kendrick Lamar coloca soldados para marchar contra o racismo

Kendrick Lamar foi um dos grandes destaques do Grammy, que, após muitos anos sendo criticado, finalmente deu espaço para alguns dos principais nomes da música negra americana

grammy kendrick lamar soldados marchar contra racismo negros
Apresentação de Kendrick Lamar no Grammy 2018 (reprodução)

Kendrick Lamar foi um dos grandes destaques da noite de domingo (28) no Grammy, que, após muitos anos sendo criticado, finalmente deu espaço para alguns dos principais nomes da música negra americana.

Além de ganhar dois gramofones, o rapper fez uma apresentação emblemática no palco do Madison Square Garden, em Nova York, onde ocorreu a premiação.

Kendrick cantou ao lado de Bono Vox e The Edge, vocalista e guitarrista do U2, respectivamente. Ele abriu a noite com um trecho de ‘XXX‘, música do disco ‘DAMN’.

Depois, acompanhado de dançarinos vestidos de soldados, Lamar entoou versos da música ‘DNA’, que fala sobre as dificuldades enfrentadas pelo negro desde seu nascimento.

O mini-show também teve uma intervenção do comediante Dave Chappelle, que disse: “Eu só queria lembrar ao público que a única coisa que assusta mais do que ver um homem negro ser sincero na América, é ser um homem negro sincero na América”.

Em seguida, Kendrick voltou com um trecho de ‘King’s Dead’, agora com os dançarinos vestidos de vermelho, que caíam no show quando o rapper simulava atirar para o alto.

Leia também:
Mano Brown faz discurso histórico durante show e critica manipulação da Globo
Emicida é aplaudido de pé na Globo após ‘aula’ contra racismo e machismo
Ao vivo, rapper relaciona manifestantes à Ku Klux Klan

Hypeness

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários