Redação Pragmatismo
Justiça 04/Apr/2018 às 15:58 COMENTÁRIOS

Estupradores e pedófilos serão soltos se STF conceder habeas corpus a Lula?

É verdade que centenas de condenados por estupro, homicídio, latrocínio e corrupção serão soltos caso o STF conceda o habeas corpus a Lula? Mensagens assim têm circulado nas redes sociais. Doutor em Direito Processual Penal esclarece a polêmica

habeas corpus de Lula mitos

Um boato começou a circular nas redes sociais desde que o Supremo Tribunal Federal decidiu pautar o habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com o intuito de criar uma certa comoção popular contra Lula e pela aceitação do HC, mensagens publicadas em vários grupos de WhatsApp e páginas do Facebook afirmam que diversos condenados (estupradores, pedófilos, traficantes e assassinos) serão soltos caso o STF conceda o habeas corpus ao ex-presidente.

Aury Lopes Jr., professor de Direito da PUC-RS com doutorado em Direito Processual Penal pela Universidade Complutense de Madrid, decidiu esclarecer a polêmica em uma publicação na internet.

Leia o que o professor escreveu:

Se o STF conceder o habeas corpus do Lula, centenas de condenados por estupro, homicídio, latrocínio e, claro, corrupção, serão imediatamente soltos! Ninguém mais poderá ser preso antes do trânsito em julgado! Verdade?

Não, isso é fake news do processo penal ou argumento terrorista falacioso. Populismo punitivista. O que se está discutindo é apenas a possibilidade ou não de alguém ser preso, automaticamente, após a decisão de segunda instância, ainda na pendência de recursos e sem trânsito em julgado.

Qualquer pessoa pode ser presa em qualquer fase do processo, incluindo obviamente a fase de investigação e a fase recursal, desde que exista necessidade, periculum libertatis. Ou seja, qualquer um pode e continuará podendo ser preso preventivamente a qualquer momento.

Quanto aos estupradores, homicidas, etc., a imensa maioria está presa a título de prisão preventiva e não serão soltos por conta desse julgamento.

Quem está cautelarmente preso, assim continuará. E, eventualmente, aqueles que não estiverem cautelarmente presos é porque não existe necessidade da prisão cautelar, porque não representam qualquer perigo para o processo ou para aplicação da lei penal.

Estavam em liberdade por isso e assim devem permanecer até o trânsito em julgado. Portanto, podem ficar tranquilos que não haverá uma soltura em massa de delinquentes perigosos. Não haverá uma horda de delinquentes bárbaros descendo pelas ruas, saqueando tudo.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários