Redação Pragmatismo
Música 22/Mar/2018 às 14:27 COMENTÁRIOS

Cantora publica texto sobre Marielle Franco, é criticada e apaga a postagem

“Na hora de lançar ‘Vai Malandra’ ela adora falar que veio da favela né? Quando matam uma mulher negra da favela de sua cidade, aí ela fica calada?”. Silêncio de Anitta sobre morte de Marielle incomoda internautas. Pressionada, a artista justificou a falta de posicionamento, mas voltou atrás e deletou a postagem

Anitta Marielle Franco
Anitta e Marielle Franco

Muitas artistas se posicionaram nas redes sociais sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, enquanto outras preferiram não comentar o caso. No entanto, o silêncio de Anitta, especialmente, incomodou internautas.

A indiferença de Anitta foi questionada por muitas postagens de usuários nas redes sociais, já que a cantora vinha explorando conceitos como empoderamento feminino e a origem em comunidade pobre.

“Na hora de lançar ‘Vai Malandra’ ela adora falar que veio da favela né? Quando matam uma mulher negra da favela, vereadora da cidade em que Anitta nasceu e vive, aí ela fica calada?”, escreveu um comentarista.

“A favela para você só é boa quando é para lucrar, Anitta. Você se apropria das bandeiras de luta para fazer dinheiro e mais nada. É hipocrisia”, criticou outro.

No dia 19 de março, cinco dias após a morte de Marielle Franco, Anitta publicou um texto no Instagram em resposta às pressões. Explicou que iria se manifestar três meses após o caso, mas antecipou o comunicado por impaciência com o que chamou de “ódio gratuito dos internautas”.

“Eu ia fazer um post daqui a um tempo, que era quando eu achava que faria sentido pra mim. Mas não tive muita paciência para aturar o ódio gratuito dos internautas até lá”, afirmou.

No texto, a cantora citou mortes como o assassinato da juíza Patricia Acioli e do menino João Hélio, antes de finalizar: “Se ela não fosse feminista como eu, também teria meus sentimentos, se não fosse favelada como eu, também teria meus sentimentos. De esquerda, direita, hétero, gay, pecador, religioso, o que for… Ninguém merece morrer”.

A resposta também sofreu críticas, que chamaram o texto de genérico e insincero. Uma hora depois de ir ao ar, o texto foi removido.

Fabiana Batistella, diretora da conferência musical SIM, explica por que o silêncio de Anitta não foi bem digerido. “Nos tempos que vivemos hoje no Brasil, quando uma artista que desafia as estruturas conservadoras da sociedade, que vem do morro, que se impõe pelo direito de ser livre se cala após um assassinato de uma mulher negra militante, não só o discurso artístico pode parecer vazio, mas ela perde a chance de levar sua mensagem de transformação para milhares de pessoas de forma bem mais forte e direta”, afirmou.

Outras mulheres

Em turnê pelo país, a cantora americana Katy Perry projetou uma imagem de Marielle no telão em um show no Rio. A artista também recebeu e abraçou no palco a irmã e a filha da vereadora.

Em seu perfil no Twitter, a sertaneja Marília Mendonça escreveu: “Por favor, mulheres que estão à frente, que lutam por todas nós, não deixe que essa tragédia cale a voz de uma geração…”.

Em seu Instagram, a MC Carol escreveu um texto em que relatou uma experiência pessoal que teve com Marielle.

Até mesmo a atriz e produtora americana Viola Davis se posicionou: “Acabo de ler sobre esta mulher corajosa, Marielle Franco, que lutou pelos direitos dos pobres nas favelas. Eu estou me levantando e lutando com você, Brasil! Viva Marielle e Anderson”, escreveu a atriz no Twitter.

Viola Davis ganhou em 2017 o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por sua participação no filme Um Limite entre Nós.

Comentários