Redação Pragmatismo
Juristas 09/Set/2019 às 20:08 COMENTÁRIOS
Juristas

Procurador que toma comprimidos por salário "miserê" recebeu R$ 78 mil em junho

Publicado em 09 Set, 2019 às 20h08

Procurador que disse ter passado a tomar antidepressivos e considerou “virar pedinte” por receber um salário de R$ 24 mil embolsou R$ 64 mil apenas no mês de julho. Em junho o valor foi de R$ 78 mil

procurador dinheiro salário miserê

Um episódio ocorrido na cúpula do Ministério Público de Minas Gerais nesta segunda-feira (9) é desses absurdos que merecem ser compartilhados por todo o Brasil.

Os procuradores discutiam o orçamento do Ministério Público para 2020. Caso Minas Gerais assine o acordo de recuperação fiscal com o governo federal, o Estado deve ficar impedido de conceder aumento ao funcionalismo, incluindo o MP.

Durante a reunião, que teve o áudio publicado no site do MP de Minas, o procurador Leonardo Azeredo dos Santos fez um apelo dramático, por causa do salário “miserê” de R$ 24 mil.

“É um salário relativamente baixo, sobretudo para quem tem mulher e filho. Quando a gente não tem mulher e filho, o dinheiro sobra. Quanto mais filho, então… vossa excelência tem dois filhos, tem que pagar pensão, tem que colega que tem três filhos e tem que pagar pensão a ex-mulher. Então, como é que o cara vai viver com 24.000 reais?”, diz.

Azeredo segue afirmando que, “ao longo da carreira, quis ter mais condição“ e que “infelizmente”, não tem origem humilde. “Eu não sou acostumado com tanta limitação”.

E continua Azeredo: “Estou fazendo a minha parte. Estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou passando a gastar R$ 8 (mil), para poder viver com os meus R$ 24 mil. Agora, eu e vários outros, já estamos vivendo à base de comprimidos, à base de antidepressivo. Estou falando desse jeito aqui com dois comprimidos sertralina por dia, tomo dois ansiolíticos por dia e ainda estou falando desse jeito. Imagine se eu não tomasse? Ia ser pior que o Ronaldinho. Vamos ficar desse jeito? Nós vamos baixar mais a crista? Nós vamos virar pedintes, quase?”

R$ 64 mil e R$ 78 mil

Dados do Portal da Transparência do MP-MG revelam que o procurador Leonardo Azeredo embolsou cerca de R$ 64 mil apenas no mês julho, contando seu salário líquido e penduricalhos.

O procurador recebeu R$ 23.803,50 líquidos, R$ 9.008,30 em indenizações e outros R$ 32.341,19 que constam como “Outras Remunerações Retroativas/Temporárias”.

As indenizações incluem auxílio-alimentação, auxílio-transporte, auxílio-moradia, ajuda de custo e outros dessa natureza, enquanto as “outras remunerações” tratam-se de adicionais de insalubridade ou de periculosidade, adicional noturno, serviço extraordinário, substituição de função e cumulações.

Em maio, o valor também foi de R$64 mil, apesar de constar uma variação nos valores de indenizações e “outros”. Já em Junho, o procurador recebeu R$ 78 mil, devido ao débito de metade do 13º. Sem ele, o valor cairia para aproximadamente R$ 63 mil, demonstrando uma constância nos “extras”.

Áudio com o chilique do procurador:

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários