Redação Pragmatismo
Barbárie 09/Apr/2019 às 15:11 COMENTÁRIOS

Jovem que comeu órgão genital do irmão é mantida em regime de isolamento

Jovem de 18 anos que assassinou o irmão de 5 de maneira sádica é mantida em cela isolada. Detentas estão cientes do crime cometido por Karina

Karina Aparecida da Silva Roque
Karina Aparecida da Silva Roque

Karina Aparecida da Silva Roque, de 18 anos, está presa na Penitenciária Feminina de Votorantim (SP). A jovem é mantida em uma cela isolada para que não seja agredida ou assassinada por outras detentas.

Pessoas que assassinam crianças, idosos ou praticam estupro correm riscos de morte na cadeia e precisam ficar em regime de isolamento. As informações são da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).

Na noite da última quinta-feira (4), Karina matou o irmão de 5 anos com requintes de crueldade e sadismo na cidade de São Roque (SP). Ela confessou o crime ao ser presa.

Vizinhos e familiares relataram à polícia que a jovem nunca apresentou problemas e que sempre cuidou do irmão.

Gritos de desespero

Vizinhos da casa onde ocorreu o assassinato relatam que ouviram “gritos de desespero” na noite do crime. Uma mulher que diz morar ao lado da casa da família fez um comentário sobre o assunto em sua conta no Facebook. “Triste ouvir os gritos de desespero da mãe”, contou.

Outros vizinhos confirmaram a versão postada da rede social e disseram que houve muita gritaria após o crime. Ainda segundo moradores do bairro, a mãe morava sozinha com os filhos e a família era “muito reservada”.

Além disso, de acordo com os relatos, Karina era uma jovem fechada e calada, mas nunca foram ouvidos gritos ou brigas na residência. Eles também disseram que o pai do menino era presente e sempre levava o filho para passear, e que era comum a mãe deixar o menino aos cuidados da irmã mais velha.

Relembre o caso

Karina e o irmão mais novo estavam sozinhos em casa quando o crime aconteceu. Para atrair o menino, a irmã disse que iria “brincar com ele”. Ela então colocou um travesseiro em sua cabeça e o matou asfixiado.

Após matá-lo, a polícia disse que, em um “ritual macabro”, Karina furou seus olhos, cortou o punho e pescoço, queimou os pés, decepou o pênis do menino e comeu o órgão.

Ao chegar em casa na noite de quinta-feira, a mãe de Karina e do menino tentou entrar no local, mas foi impedida pela jovem. A mulher chamou um cunhado, que forçou a entrada e encontrou a criança com sinais de tortura e cercada por velas.

Karina ainda jogou uma pedra no tio, mas ele conseguiu contê-la e a polícia foi acionada. A jovem de 18 anos vai responder por homicídio qualificado consumado pela morte do irmão, tentativa de homicídio do tio e maus-tratos.

Karina chegou a morder o cão da família que avançou nela enquanto era rendida pelo parente.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários