Redação Pragmatismo
Rio de Janeiro 12/Apr/2019 às 16:10 COMENTÁRIOS

Confira o que já se sabe sobre o desabamento dos prédios no Rio de Janeiro

Prédios que desabaram no Rio de Janeiro ficavam em região controlada por milícia que atua como imobiliária ilegal. Confira o que já se sabe até agora

desabamento prédios muzema rio de janeiro milícia
(Imagem: Carl de Souza | AFP)

O desabamento de dois prédios na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, deixou pelo menos dois mortos e cinco feridos. De acordo com o subcomandante do Corpo de Bombeiros, coronel Marcelo Gisler, os bombeiros já localizaram outras duas pessoas com vida dentro dos escombros e estão trabalhando para resgatá-las.

De acordo com Gisler, os dois corpos e três dos feridos foram resgatados pelos próprios moradores antes da chegada dos bombeiros. Os outros dois feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros.

A maior dificuldade é o acesso ao local e a estrutura”, disse o coronel, acrescentando que eles temem pela integridade estrutural dos prédios vizinhos.

Cães farejadores estão auxiliando os bombeiros no local. O coronel pede para que moradores procurem a Defesa Civil para informar sobre desaparecidos, para que os bombeiros possam agilizar a busca por essas pessoas.

Para que a gente otimize nossos recursos nessas buscas e trabalhe só onde efetivamente a gente pode encontrar alguém”, disse.

Famílias

Pelo menos cinco famílias moravam nos prédios que desabaram, na manhã desta sexta-feira (12/4), na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. A informação é do vice-governador, Claudio Castro. Segundo ele, duas pessoas morreram, um adulto e uma criança.

A informação que tínhamos é de que tem três famílias cadastradas na Clínica da Família e mais duas que se mudaram para cá na semana passada. A princípio, estima-se que ainda possa haver quatro famílias lá dentro”, disse Castro, explicando que uma das famílias já foi resgatada.

Os edifícios que desabaram não tinham autorização da prefeitura e suas obras foram interditadas e embargadas pela prefeitura em novembro de 2018. Mas, como é a Muzema é uma área controlada por uma milícia, a prefeitura diz que precisa do apoio da polícia para atuar no local.

O vice-governador disse que o estado vem combatendo as milícias. “A gente está combatendo com a Polícia Civil, a questão de lavagem de dinheiro e do combate em si. Desde o início do governo, está sendo duramente combatida. É realmente um grande problema a questão da criminalidade em geral e a gente está batalhando para diminuir isso”.

Agência Brasil

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários