Redação Pragmatismo
Rio de Janeiro 08/Apr/2019 às 14:15 COMENTÁRIOS

Jornalista é ameaçado após matéria sobre 80 tiros contra carro de inocentes

Carro com inocentes no Rio de Janeiro é metralhado pelo Exército com 80 tiros. No veículo, havia uma criança de 7 anos. Jornalista que fez matéria sobre o caso é ameaçado: "Vai morrer junto com a família"

ameaça repórter Carlos De Lannoy
Carlos De Lannoy (reprodução)

Um jornalista da TV Globo passou a sofrer ameaças de morte nas redes sociais após a veiculação de uma matéria sobre o carro com inocentes fuzilado pelo Exército no Rio de Janeiro.

No Twitter, o repórter Carlos de Lannoy disse que as ameaças aconteceram em seu perfil no Instagram depois que a reportagem foi exibida no “Fantástico”, na noite de domingo (7).

Em um print revelado por de Lannoy, o perfil de um homem diz que “mexeu com o Exército, assinou sua sentença. Sua família vai pagar. Aguarde cartas”. O jornalista respondeu à ameaça dizendo que “não ficará assim”.

“Você vai responder por essa ameaça. O que você fez não é apenas uma afirmação vergonhosa, infeliz e lamentável, mas um crime previsto em lei. Aguarde”, respondeu o jornalista.

Entenda o caso

Militares do Exército no Rio de Janeiro fuzilaram um carro com inocentes na Estrada do Camboatá, em Guadalupe (RJ), na tarde de domingo.

Cerca de 80 disparos atingiram o veículo e Evaldo Rosa dos Santos morreu na hora. Dentro do automóvel ainda estava a mulher e a filha da vítima, uma criança de 7 anos, que escaparam milagrosamente.

O delegado Leonardo Salgado, da Delegacia de Homicídios (DH-Capital), disse que “tudo indica” que os militares confundiram o veículo.

“Foram diversos disparos de arma de fogo efetuados e tudo indica que os militares realmente confundiram o veículo com um veículo de bandidos. Mas neste veículo estava uma família. Não foi encontrada nenhuma arma no carro. Tudo que foi apurado era que realmente era uma família normal, de bem, que acabou sendo vítima dos militares”, falou Salgado.

Segundo o delegado, a decisão correta a se tomar seria a prisão em flagrante. “Fica muito difícil tomar uma decisão diferente desta, não vejo uma legítima defesa pela quantidade de tiros que foi. Os indícios apontam para uma prisão em flagrante”, afirmou.

Covardia

De maneira covarde, o Comando Militar do Leste (CML) afirmou, a princípio, que o morto era um criminoso que passou em um veículo com um comparsa atirando contra os soldados, e estes teriam revidado a uma “injusta agressão”.

Essa versão foi desmentida pelo testemunho de familiares da vítima e, posteriormente, pela investigação da Polícia Civil. Evaldo Rosa era músico e pai de família.

Carro em que Evaldo estava foi alvo de cerca de 80 tiros – Reprodução / Internet

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. chichano goncalvez Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

    Pra que servem os exercitos ? Para matar! Porque os soldados não fazem greve em favor da vida ?

  2. Dr. Doom Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Uma pena. Mas será que parou o carro de boa?

    • JP Padilha Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

      E isso é motivo pra alvejar?!

  3. caca silva Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Eu não me arrependo de tirar a farda(baixa como caboda Marinha), eu me arrependo de um dia ter usado uma.

  4. Roberto Pedroso Postado em 05/Jul/2019 às 16:36

    Infelizmente no Brasil a coisa aqui é assim: https://uploads.disquscdn.com/images/323427c98aa4644f94f19d106f4fcfcd8294b8cc4a6f31a1151c7ce668852c04.jpg

  5. Roberto Pedroso Postado em 05/Jul/2019 às 16:36

    A mesma cidade e no mesmo estado onde foi morta a vereadora Marielle,em um caso onde se revelou a participação de milicianos que fizeram parte da policia ,o mesmo estado onde o governador atual subiu no palanque ao lado de indivíduos que quebraram a placa de rua dedicada em homenagem a vereadora Marielle Franco (repito:assassinada por milicianos) agora logo apos a morte de um inocente por essa ação celerada de tropas militares que realizam intervenção no estado o que foi dito pelas informações oficiais dos meios oficiais de comunicação do estado se sustentou a alegação que a morte do inocente se tratava de mais um ''alto de resistência'',mas testemunhas e imagens do ocorrido (gravados em celulares)comprovaram a inveracidade da versão oficial contada pelos órgãos oficiais,então voltaram atras e de fato as autoridades reconheceram o ''erro''(como se matar uma pessoa inocente e depois acusa-la de forma covarde de ter ''trocado tiros com o exercito'' fosse um erro simples e irrelevante.....)em resumo essa não e'a primeira e nem a ultima vez que o braço armado do estado ''se equivoca''e mata um trabalhador negro, inocente e depois tentam ainda alegar que o mesmo era bandido! e sobre o caso do assassinato do musico em plena via publica por soldados do exercito em ação destemperada e violenta o governador(o mesmo que subiu no palanque ao lado de sujeitos que quebraram a placa de rua em Homenagem a vereadora Marielle e que alegou que o problema dos desmoronamentos das encostas é causado por gente que ''insiste'' em ocupar áreas perigosas)disse que ''não cabe a ele fazer juízo de valor sobre o caso''.......muito simbólica essa postura e conduta desse governador e de todos os outros que em algum nível apoiaram ou se associaram politicamente ao individuo que hoje ocupa o palácio do planalto.....todos seguem o mesmo ideário de estado policial, super-militarizado com licença para matar pobre.