Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 27/Mar/2019 às 12:00 COMENTÁRIOS

Exposição no Rio ressalta violência contra mulher

A exposição, inaugurada no dia 14 de março, data que marcou um ano do assassinato de Marielle Franco, também traz painel em homenagem à vereadora carioca e ficará aberta até o dia 28 de junho

Exposição no Rio ressalta violência contra mulher
Helena Morani (Imagem: Renato Guima)

Reconhecida pelo traço e pelas bandeiras feministas levantadas nas redes sociais, a jovem artista plástica Helena Morani ganha agora uma exposição individual, em Petrópolis (RJ).

Você não precisa se esconder” está aberta à visitação no Centro Cultural da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), alertando o público feminino para questões que são difíceis de abordar, seja por ter sofrido assédio ou agressões física, verbal e psicológica, ou por não ter forças para enfrentar o julgamento de pessoas próximas. Aos 23 anos, Helena enfoca essas situações em cada obra da mostra, assim como faz no Instagram.

É preciso mostrar que as mulheres merecem respeito e espaço na sociedade. Não podemos aceitar passar por tantas situações de constrangimento e nos calar. É hora de dar um basta na violência contra a mulher”, diz.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Incentive outras mulheres! *insira aqui uma mulher que você queira mandar alguma dessas mensagens*

Uma publicação compartilhada por Helena Morani (@helenamorani) em

Em cada painel, Helena traz uma realidade do universo feminino. A aceitação do próprio corpo, diferente do que é imposto como padrão de beleza, e arames que representam a mulher que sofreu agressões físicas, psicológicas e até mesmo o feminicídio, dentre outras situações, fazem com que o visitante possa ter um encontro mais próximo com a realidade.

Nossa intenção é que toda mulher possa se ver como integrante da exposição e se sentir acolhida. Temos que nos aceitar do jeito que somos e entender que cada uma tem a sua beleza. A perfeição de mulher como vista no Photoshop não deve ser idealizada por nós, porque isso nos expõe a um sofrimento terrível, uma cobrança injusta. Não precisamos nos esconder, precisamos estar unidas e mudar a realidade de violência que vivenciamos”, completa Helena.

A artista criou uma obra que chama atenção de quem circula pelo Centro Cultural da FMP/Fase. Um painel montado com os nomes de mulheres que sofreram violência só é possível ser identificado quando o visitante está de frente para um espelho. Ao se ver nele, consegue ler os nomes no painel e entender que as vítimas não estão distantes. Além disso, uma caixa fica à disposição para que sejam colocadas sugestões sobre temas ou situações que mulheres vivenciaram, tudo de forma anônima, para que sejam realizados debate sobre os assuntos no Centro Cultural.

Queremos evidenciar ainda mais o nosso posicionamento em relação ao trabalho que desenvolvemos sobre o empoderamento feminino. Desde o ano passado, desenvolvemos esse trabalho de conscientização através de campanha interna em relação à violência contra a mulher. A exposição nos permite uma reflexão”, destaca Ricardo Tammela, coordenador de Projetos e Extensão da FMP/Fase.

A exposição, inaugurada no dia 14 de março, data que marcou um ano do assassinato de Marielle Franco, também traz painel em homenagem à vereadora carioca.

A mostra ficará aberta até o dia 28 de junho.

A visitação, gratuita, pode ser de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9h às 16h, na Av. Barão do Rio Branco 1003, no Centro de Petrópolis.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários