Redação Pragmatismo
Política 21/Mar/2019 às 12:29 COMENTÁRIOS
Política

Briga entre Moro e Maia seria razão da operação contra Michel Temer

Publicado em 21 Mar, 2019 às 12h29

Prisão de caciques do MDB tem briga entre Sergio Moro e Rodrigo Maia como pano de fundo. Moreira Franco, Sogro do presidente da Câmara, foi preso na operação

Briga entre Moro e Maia seria razão da operação contra Michel Temer
Sérgio Moro e Rodrigo Maia (Imagem: Isaac Amorim | ABr)

Jornal GGN

A operação da Lava Jato no Rio de Janeiro que prendeu, nesta quinta (21), Michel Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco, entre outros nomes ligados à cúpula do MDB, ocorre paralelamente à briga entre Sergio Moro – colega do juiz Marcelo Bretas – e Rodrigo Maia – genro de Moreira Franco – por causa do pacote anticrime apresentado à Câmara.

Na noite anterior ao cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão pela PF, Moro e Maia intensificaram a troca de farpas publicamente. O presidente da Câmara disse à imprensa que o ministro da Justiça está extrapolando sua competência ao se comportar como presidente da República e exigir que a Câmara discuta seu pacote de mudanças na legislação penal.

A mensagem desagradou Moro, que usou o Instagram da esposa, Rosangela Moro, para divulgar uma nota oficial, na noite de quarta (20), insinuando que os deputados fazem corpo mole em relação ao pacote anticrime e que o País já não aguenta mais empurrar corrupção para debaixo do tapete.

O mandado de prisão contra o sogro de Maia e outros emedebistas foi emitido por Bretas em 19 de março. Na véspera, a imprensa noticiava que o presidente da Câmara desacelerou a tramitação do pacote anticrime criando um grupo especial que deverá debater as propostas por pelo menos 90 dias. Somente depois disso é que o projeto será enviado para uma das comissões permanentes da Casa.

Saiba mais: A reconstrução dos fatos até a prisão de Michel Temer

Na visão de Moro, o Congresso deve tocar o pacote anticrime e a Reforma da Previdência ao mesmo tempo. Maia, para quem Moro não tem poder de decisão sobre os trabalhos da Câmara, também alegou que a nova previdência é a prioridade.

Lava Jato na parede

Além disso, a operação que leva à prisão mais um ex-presidente da República ocorre no momento em que a Lava Jato está sob forte pressão. O Supremo Tribunal Federal julgou, recentemente, que caixa 2 deve ser julgado pela Justiça Eleitoral, esvaziando denúncias construídas pelos procuradores que atuam na operação. Além disso, a turma de Deltan Dallagnol entrou na mira do STF por causa do fundo bilionário construído com R$ 2,5 bilhões da Petrobras.

Leia também:
Procurador diz que Lava Jato perdeu apoio depois que PT deixou de ser alvo
Lava Jato do início ao fim: uma operação viciada e politicamente interessada
Operação Lava Jato: como tudo começou
Diferenças e semelhanças entre a Lava Jato e a Mãos Limpas
MPF aponta que esquema na Petrobras começou ‘há pelo menos 15 anos’

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários