Redação Pragmatismo
Política 21/Mar/2019 às 15:31 COMENTÁRIOS

A reconstrução dos fatos até a prisão de Michel Temer

A seleção dos presos da Lava Jato e o momento em que eles são detidos demonstra que o alvo, infelizmente, não é o fim da corrupção. Quem não entender isso não vai entender nada do que está acontecendo no Brasil. Fatos políticos dos últimos dias explicam a prisão de Michel Temer

reconstrução dos fatos até a prisão de Michel Temer
Michel Temer tirando a Faixa Presidencial (Imagem: Marcelo Camargo | ABr)

Ricardo Cappelli, Jornal GGN

Circula nos bastidores que o juiz Marcelo Bretas pode ser candidato à prefeitura do Rio em 2020. Após Moro abandonar a carreira, o magistrado carioca parece estar com sede de assumir a liderança da operação pelo judiciário.

Claro que isso não tem nenhuma relação com a espetacular prisão preventiva de Temer, sem julgamento, sem condenação ou trânsito em julgado, nem mesmo em segunda instância.

Vamos reconstituir os fatos:

A Lava Jato sofre uma grande derrota no STF, que decide tirar das mãos da “Operação” e enviar para a justiça eleitoral os inquéritos relacionados aos fatos envolvendo a prática de caixa dois.

Saiba mais: Moro muda de opinião e diz que “caixa 2 não tem mesma gravidade de corrupção”

Enlouquecido, Deltan Dallagnol desfere ataques virtuais contra membros da corte, estimulando uma onda de milícias digitais que atuam no submundo da internet difamando e destruindo reputações. Alguns chegam a fazer ameaças físicas.

Como o STF reage? Sob protesto da ala “neoiluminista” e “neopositivista” da corte, aliada da “República de Curitiba”, o presidente Dias Toffoli abre inquérito para apurar as origens do ataque. Quem estimula? Quem financia? Quem está por trás da desestabilização das instituições? Serão encontradas “pegadas” de Curitiba?

A Ordem dos Advogados do Brasil se pronuncia na defesa do inquérito e das instituições.

O “ex-todo-poderosoSérgio Moro vê o presidente da Câmara criar uma comissão com sete membros para avaliar seu projeto de combate ao crime organizado por 90 dias. Na prática, joga sua apreciação para o segundo semestre.

O Ministro da Justiça reage indignado e passa a provocar Maia, que responde chamando-o de “funcionário de Bolsonaro”, “que ele está trocando as bolas”, e fazendo pouco caso de seu projeto dizendo que ele é “um copia e cola” dos projetos apresentados pelo ex-ministro da justiça Alexandre de Moraes.

Leia também: Sergio Moro acusa o golpe e menciona ‘Deus’ em resposta a Rodrigo Maia

Qualquer recém-nascido com mais de cinco quilos filho de um esquimó da Antártida consegue perceber que é o pior momento vivido pela Lava Jato. Some a isso que Bolsonaro enfrenta uma queda de 15 pontos percentuais de popularidade em apenas 60 dias, um recorde histórico.

Está clara a necessidade de reagir? E a reação veio. Por coincidência, claro, sai da manga a prisão de Temer e de Moreira, por outra coincidência, sogro do “Botafogo”.

Quem está comemorando a reação da “Operação”?

Eleitores de Bolsonaro que desviam o foco do problema central, a falta de projeto para retomada do crescimento no Brasil, e políticos oportunistas e perdidos da esquerda que, numa postura esquizofrênica, condenam ou comemoram as prisões ilegais, dependendo da filiação do preso.

A Lava Jato é um projeto de poder. Utiliza-se, em alguns casos, de problemas reais de nossa jovem democracia para, rasgando o Estado Democrático de Direito, pavimentar seu caminho para o poder.

A corrupção precisa ser enfrentada, claro. Mas vem sendo usada como pretexto para rasgar a constituição de 88 e implantar no país um estado de exceção. O alvo não é o fim da corrupção. A seleção dos presos é demonstração cabal disso. O que eles buscam é o poder.

Quem não entender isso não vai entender nada do que está acontecendo no Brasil.

Leia também:
Procurador diz que Lava Jato perdeu apoio depois que PT deixou de ser alvo
Lava Jato do início ao fim: uma operação viciada e politicamente interessada
Operação Lava Jato: como tudo começou
Diferenças e semelhanças entre a Lava Jato e a Mãos Limpas
MPF aponta que esquema na Petrobras começou ‘há pelo menos 15 anos’

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. r luc Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Vivi pra ver PTista defender o autor do "golpe". ahahahahha

  2. Apocalipsis 13 Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    A lava jato partiu pro tudo ou nada, pro mata ou morre. Vai morrer atirando pelo jeito. E o impeachment do Bozo já está no forno.

  3. Dr. Doom Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    E defendem até o Temer pra defender os bandidos deles por tabela... Que vergonha.

  4. chichano goncalvez Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Claro os politicos corruptos tem culpa,mas onde fica esses analfabetos politicos, que a anos vem votando sempre nos mesmo de sempre, sabem e fazem que não sabem

  5. chichano goncalvez Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Neste tiroteio de todo lado, o povo serio e honesto que NUNCA votou nessa quadrilha, fica mais perdido que cego em tiroteio. Acho que tem alguem atrás do muro, deixando essa turma se desgastar, para dar outro golpe e exilar a familia do Bolso Nada tambem. Falta os sonegadores maiores tipo Globo, Gerdau, e a operação zelotes por onde anda ?

  6. Roberto Pedroso Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Prenderam um dos principais articuladores do Golpe Branco Parlamentar.....quando a policia interceptou o veiculo em que temer estava em plena via publica e abriram a porta do carro e focalizaram na cara do Temer pensei que o mesmo iria gritar lá de dentro: MORO!!!!! ATÉ TU BRUTUS!!!!FILHO MEU...........