Redação Pragmatismo
Saúde 21/Feb/2019 às 19:19 COMENTÁRIOS

Médico flagrado agredindo grávida responde a uma série de processos

Médico brasileiro flagrado agredindo jovem grávida é alvo de uma série de processos, mas nunca perdeu o registro. Armando Andrade de Araújo responde na Justiça por corrupção e por se recusar a atender uma paciente portadora do vírus HIV. Ele já havia sido preso

médico Armando Andrade de Araújo
O médico Armando Andrade de Araújo

O médico brasileiro flagrado em vídeo agredindo uma jovem grávida de 16 anos durante o trabalho de parto responde a uma série de processos na Justiça, mas nunca chegou a perder o registro para exercer a profissão.

Armando Andrade de Araújo é alvo de diversas denúncias por violência obstétrica e responde na Justiça por se recusar a atender uma paciente portadora do vírus HIV.

Além disso, o médico responde por corrupção passiva e já chegou a ser preso na Operação Jaleco por cobrar por cirurgias na rede pública de saúde.

Armando segue atuando sem restrições por parte do Cremam – órgão que tem entre suas atribuições fiscalizar a atuação dos médicos e julgar casos que ferem o Código de Ética Médica.

Sobre o caso revelado pela divulgação do vídeo nesta terça-feira (19), o Cremam informou que “irá abrir uma sindicância chamada ex officio, ou seja, não houve a denúncia formal da denunciante”, na qual a pena mais severa é a cassação do registro.

No entendimento da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM), houve flagrante violação dos Direitos Humanos, nos artigos 23 e 27 do Código de Ética do Conselho Federal de Medicina (CFM) que trata da ausência de civilidade e desconsideração com a dignidade humana.

Investigação

Em nota, a Secretaria de Saúde disse que abriu sindicância para apurar a conduta do médico. Os documentos foram protocolados na secretaria nesta quarta-feira (20), pela direção da maternidade.

Também nesta quarta-feira, o secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida, convocou a direção do Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam), empresa ao qual o profissional é cooperado, para reunião na Susam, ocasião em que irá reiterar o pedido de afastamento do médico.

O caso

O caso revelado nesta terça-feira (19) aconteceu em maio de 2018 e só foi descoberto porque a auxiliar que gravou o vídeo finalmente teve coragem de publicá-lo nas redes sociais.

Na época, a família da vítima tinha a intenção de denunciar o crime, mas nenhuma das pessoas que testemunharam a violência de Armando se dispuseram a prestar depoimento.

“Eu não tinha o vídeo, por isso não denunciamos antes. A mulher que gravou não quis enviar o vídeo por medo, eu acho. Aí o vídeo apareceu na internet e minha mãe que me ligou avisando”, disse a adolescente.

Nas imagens, o médico Armando Andrade de Araújo aparece bastante furioso durante o trabalho de parto da jovem de 16 anos e chega a sugerir que uma enfermeira suba na barriga da paciente.

O médico ainda xinga a jovem e chega a bater nas pernas dela. Durante o procedimento, a menina sofre e luta para nãos desmaiar.

“Meu primeiro e último filho. Depois disso não quero outro filho. Espero que a justiça seja feita e não aconteça com outras mulheres. Ele é muito violento, é um monstro”, desabafou a jovem.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Thiago Melo Teixeira Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Calma lá, quem é essa senhora idiota que está atormentando o trabalho do obstetra? Quem está lá filmando parto para fazer sensacionalismo? O médico é santo, claro que não, mas sei como é a população idiotizada pela mídia que trata funcionários da saúde com grosseria.