Redação Pragmatismo
Eleições 2018 01/Nov/2018 às 12:40 COMENTÁRIOS

Sergio Moro segue o mesmo caminho de Di Pietro na Itália

Bolsonaro ofereceu a Sergio Moro uma versão turbinada do Ministério da Justiça. É uma retribuição simbólica: Moro chutou Lula da eleição deste ano, abrindo caminho para a vitória bolsonarista. Juiz de Curitiba segue os passos de Di Pietro, chefe da Mãos Limpas que acabou como político na Itália

Sergio Moro mesmo caminho dDi Pietro na Itália justiça política lava jato
Sergio Moro e Antonio Di Pietro (Montagem: Pragmatismo Político)

Kiko Nogueira, DCM

Jair Bolsonaro ofereceu ao juiz Sergio Moro uma versão turbinada do Ministério da Justiça. Moro aceitou.

É uma retribuição simbólica: Moro chutou Lula da eleição deste ano, abrindo caminho para a vitória bolsonarista. Em 2022, quem sabe, é a vez de SM.

A Lava Jato, desta maneira, é desmoralizada por seu principal ator.

O juiz maringaense está seguindo os passos de seu modelo Antonio di Pietro, ex-magistrado do Ministério Público italiano, artífice da Mãos Limpas.

Segue o script que escreveu em 2004 sobre a operação que ele chama de “uma das mais exitosas cruzadas judiciárias contra a corrupção política e administrativa”.

Esta havia transformado a Itália em, para servirmo-nos de expressão utilizada por Antonio Di Pietro, uma democrazia venduta (‘democracia vendida’)”.

Di Pietro interferiu no resultado de eleições. Ajudou a derrubar o governo de Giuliano Amato em 1993 e obteve a condenação à prisão o ex-primeiro ministro socialista Bettino Craxi.

A destruição dos principais partidos do país desembocou no fanfarrão Silvio Berlusconi — que ofereceu a Di Pietro o cargo de ministro do Interior, responsável pela polícia e pelo Ministério Público.

Ele negou.

Largaria a Mãos Limpas para aceitar em 1996 o Ministério de Obras Públicas de Romano Prodi. Desde então foi eurodeputado, deputado, senador, ministro.

Fundou um partido, Itália dos Valores, que abandonaria em 2014.

Em março deste ano, rejeitou uma candidatura a governador de Molise, onde sua família produz azeite.

Di Pietro nunca decolou politicamente.

Vive da imagem marqueteira da Mãos Limpas, que sobrevive à realidade dos fatos, dando palestras e entrevistas (principalmente aos jornais brasileiros).

Em 2016, falou o seguinte à BBC: “Tenho certeza de que o colega Sergio Moro está fazendo o seu trabalho com o único objetivo de cumprir o seu dever de juiz e, certamente, não sob influência de ambições políticas.”

Bella roba!, como dizia a saudosa Nair Bello.

Leia também:
Operação Mãos Limpas, que inspirou a Lava Jato, completa 25 anos
Artigo traduzido por Sergio Moro prega o contrário do que ele faz na Lava Jato
Livro revela erros da Lava Jato e objetivos não-declarados da operação
Universidade desiste de conceder título honoris causa a Sergio Moro
Diferenças e semelhanças entre a Lava Jato e a Mãos Limpas

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários