Redação Pragmatismo
Armas de Fogo 14/Nov/2018 às 14:25 COMENTÁRIOS

Menino de 7 anos morre enquanto brincava com a arma do padrinho

Menino de 7 anos morre ao brincar com a arma de fogo do padrinho. Outras duas crianças, de 10 e 2 anos, também brincava com a arma no momento da tragédia. Responsável admite que foi imprudente e pode responder por homicídio culposo

arma de fogo menino disparo
Luís Felipe foi levado ao hospital na segunda-feira, mas teve morte cerebral confirmada no dia seguinte

Um menino de apenas 7 anos que brincava com uma arma de fogo teve morte cerebral confirmada nesta terça-feira (13). O incidente aconteceu em Carmo do Rio Verde, Goiás, na segunda-feira (12).

O pequeno Luís Felipe Rodrigues Ribeiro estava acompanhado de outras duas crianças, de 10 e 2 anos, no momento em que a arma do seu padrinho disparou acidentalmente.

As outras duas crianças são netas do dono da arma, que, no momento do disparo, havia saído justamente para buscar seu compadre e a esposa, pais de Luís Felipe.

Matheus Costa Melo, delegado responsável, afirma que o dono da arma poderá responder por homicídio culposo.

“Além de responder por homicídio culposo, o padrinho do garoto pode ser incriminado por omissão de cautela e posse irregular de fogo, já que não havia registro [da arma]. Já foram ouvidos o dono da arma e a esposa. Com a morte do menino, vamos esperar passar o luto da família para dar prosseguimento às investigações”, disse.

“O que a gente apurou até agora é que havia três crianças brincando em um quarto velho nos fundos da chácara. A arma, uma espingarda, ficava sobre a mesa. As crianças estavam brincando com a arma e, ainda não sabemos como, um deles levou o tiro”, continuou o delegado.

O advogado do dono da arma disse que seu cliente admite que errou por ter deixado a arma exposta e que ele está bastante abalado com a situação, pois era muito próximo da família do garoto.

“O pai do garoto tinha uma relação muita próximo com o meu cliente. Eles foram para o local para comemorar o aniversário dele. O pai levou a criança e deixou lá. A mãe da criança ganhou neném há pouco tempo e não queria ir de moto. Então ele foi até a cidade buscar a esposa do compadre e a criança. Ao chegar na propriedade, ele se deparou com o ocorrido”, afirmou.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários