Redação Pragmatismo
Eleições 2018 17/Oct/2018 às 13:26 COMENTÁRIOS

Fernando Holiday vira piada nas redes ao afirmar que a "Ku Klux Klan é de esquerda"

Depois de ensinar nazismo aos alemães, alguns brasileiros agora pretendem ensinar supremacia branca à Ku Klux Klan. O vereador Fernando Holiday (DEM) tentou, mas virou piada

O vereador Fernando Holiday
O vereador Fernando Holiday

O vereador Fernando Holiday (DEM) esbravejou nas redes sociais após o rosto mais famoso da Ku Klux Klan (KKK), David Duke, declarar apoio a Jair Bolsonaro (PSL) por considerar que há muitas semelhanças entre o presidenciável brasileiro e o grupo racista de extrema-direita dos EUA.

“Ele soa como nós. Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França”, disse o líder da Ku Klux Klan.

Ao contrário do que diz toda a historiografia global, incluindo a norte-americana, Holiday afirma que a KKK é uma organização de esquerda.

Holiday defende ainda que o fascismo e o nazismo seriam “de esquerda”, numa deturpação histórica que é ridicularizada em todo o mundo e causa horror na Alemanha.

Nas redes sociais, o comentário de Holiday virou motivo de piada:

Se podemos ensinar Nazismo à Alemanha, por que não podemos ensinar Supremacia à KKK? Somos fodas“, ironizou um internauta.

Fernando Holiday, com a habitual mistura de burrice e má-fé, diz que a Ku Klux Klan é de esquerda. Pois é, e no entanto ela apoia Bolsonaro, um confesso extremista de direita. Holiday desrespeita a memória de milhões de vítimas da irracionalidade supremacista. Patético“, escreveu outro.

Bolsonaro recebe o apoio da KKK. O Fernando Holiday, como negro, em vez de se preocupar com o fato de que supremacistas brancos simpatizam com Bolsonaro, passa o pano em ambos com revisionismo de botequim. O cara topa ser pano de chão de branco, deve se odiar muito. Fico com pena“, publicou mais um internauta.

Para conhecer a história completa da Ku Klux Klan, clique aqui.

Confira mais reações:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários