Redação Pragmatismo
Eleições 2018 18/Oct/2018 às 16:30 COMENTÁRIOS

Jair Bolsonaro se pronuncia pela 1ª vez após acusação de caixa 2 milionário

"Não tenho controle sobre empresários". Bolsonaro repete a mesma resposta que deu quando um de seus seguidores assassinou um opositor na Bahia. Na ocasião, ele disse que "não tinha controle sobre seus seguidores". Discurso contraria promessas de que "vai mudar o Brasil"

jair bolsonaro caixa 2

Jair Bolsonaro, candidato à Presidência da República pelo PSL, se pronunciou pela primeira vez sobre as denúncias que revelam que empresários estão derramando milhões de Reais, de maneira ilegal, para manipular as eleições por meio de WhatsApp em favor de sua candidatura.

Segundo o candidato, ele não tem como controlar os empresários que o apoiam.

“Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência. Pode ser gente até ligada à esquerda que diz que está comigo para tentar complicar a minha vida me denunciando por abuso de poder econômico”, afirmou o candidato ao site de direita “O Antagonista”.

Um dos empresários denunciados no esquema é o dono da Havan, Luciano Hang, amigo pessoal de Bolsonaro e que coagiu seus funcionários a votar no presidenciável.

Segundo revelou a reportagem, grandes empresas preparam uma mega-operação na semana que vem, dias antes do segundo turno, com o intuito de difundir mensagens em massa contra Haddad, o PT e a favor de Bolsonaro. Cada contrato custou R$ 12 milhões.

A justificativa de Bolsonaro de que “não tem controle sobre seus empresários” é um choque de realidade para quem o enxerga como uma espécie de messias.

Bolsonaro repetiu a mesma resposta que deu quando um de seus seguidores assassinou o artista e capoeirista Mestre Moa, na Bahia, por conta de divergências políticas.

“O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”, disse Bolsonaro na última semana.

Para os mais antenados, fica cada vez mais evidente que o discurso do capitão contraria suas promessas de que “vai mudar o Brasil” sem explicar, de fato, como fazê-lo.

OBS.: A denúncia contra a campanha de Bolsonaro foi publicada nas primeiras horas do dia e repercutiu até na imprensa internacional. Mas só no final da tarde desta quinta-feira o candidato decidiu se pronunciar. Na sua justificativa, ele cita que isso pode ser obra de “empresários esquerdistas” que querem prejudicá-lo. Um dos empresários apontados no esquema milionário é Luciano Hang, dono da Havan, que chegou a coagir o voto de seus funcionários e é presença garantida quase que diariamente na casa de Bolsonaro. Eles costumam realizar, juntos, ‘lives’ no Facebook. Seria Luciano Hang um agente esquerdista infiltrado?

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários