Redação Pragmatismo
Eleições 2018 26/Oct/2018 às 15:48 COMENTÁRIOS

Delegado encerrou prematuramente inquérito de jovem marcada com suástica

Para reforçar sua teoria de que a jovem praticou automutilação, delegado afirmou que ela sofre de problemas psicológicos. Inquérito foi encerrado prematuramente e diligências não foram executadas, diz defesa

Delegado encerrou prematuramente inquérito jovem marcada com suástica

Jornal GGN

A advogada Gabriela Souza disse ao GGN, no final da tarde desta quarta (24), que o inquérito a respeito da jovem de Porto Alegre que alega ter sido atacada por apoiadores de Jair Bolsonaro, que teriam desenhado uma suástica em seu corpo, parece ter sido concluído “prematuramente“, com o delegado do caso “descartando a hipótese que favorece a vítima” e deixando de executar algumas diligências. O ataque teria acontecido no dia 8 de outubro.

A jovem, que teve a identidade preservada ao longo da investigação, reportou o caso à delegacia e fez exame de corpo de delito no dia 9. O teor do laudo pericial foi divulgado hoje pelo delegado Paulo Jardim, que antecipou que houve, em sua opinião, automutilação. Ele anunciou que a jovem será indiciada por falso testemunho.

Para sustentar sua tese, Jardim disse à imprensa que a jovem praticou o ato com clipes ou brincos, sozinha ou hipoteticamente com a ajuda de outra pessoa. Para reforçar a teoria, ele ainda argumentou que ela sofre de problemas psicológicos e “toma remédios muito fortes“.

Ao GGN, Gabriela, especializada na advocacia para mulheres, disse que o delegado não solicitou nenhum exame e que foi informado pela jovem de seu problema com depressão. “Isso nunca foi escondido, mas me parece que ele usa isso de desculpa para colocar em dúvida o depoimento dela. Não é porque ela tem depressão que ela está mentindo. Isso inclusive é uma discriminação com qualquer um que sofra de depressão.”

A defensora ainda informou que os investigadores desconsideraram uma série de diligências, incluído análises de câmeras de segurança e oitivas de profissionais que acompanham a vítima.

O delegado Jardim foi alvo de polêmicas após ter declarado que a suástica era, em verdade, um símbolo budista, insinuando ser exagero afirmar que a jovem teria sido vítima de fascismo.

Laudo contradiz delegado

Apesar de o delegado Jardim ter dito a jornalistas que a jovem se automutilou com brincos ou clipes, o laudo pericial afirma expressamente que uma “lâmina metálica de canivete ou até mesmo de uma faca” poderia ter sido utilizada na escareação, confirmando a versão da vítima.

Além disso, os peritos anotaram que o exame de delito era incapaz de assegurar que houve automutilação. A hipótese foi levantada porque os ferimentos são tão superficiais que os peritos consideram que o autor precisou de “cautela“, “zelo“, “cuidado” e talvez um tempo “indefinido” para imprimir o signo nazista na corpo da jovem.

Mas há outra possibilidade em discussão, inclusive que “corrobora“, segundo os médicos que assinam o laudo, com a versão da vítima: a de que ela colaborou com os agressores, não oferecendo nenhuma resistência.

No laudo, contudo, os técnicos afirmam, em resposta a uma pergunta do delegado, que o “normal” nesse tipo de situação é que a vítima tente se defender.

Jardim tem construído a ideia de que não é plausível que a jovem tenha ficado parada até que a inscrição nazista fosse concluída.

O caso ganhou repercussão e foi até utilizado na propaganda eleitoral do PT, endossando os casos de violência provocados por seguidores de Jair Bolsonaro.

O capitão da reserva aproveitou a notícia de que a jovem será indiciada por falso testemunho para acusar o PT de propagar fake news.

A redação do GGN procurou pelo delegado Jardim na 1ª DP de Porto Alegre, na noite desta quarta (24), mas ele não foi encontrado para comentar esta reportagem.

Leia também:
Eleitores de Bolsonaro se sentem legitimados para aniquilar opositores
Sul do Brasil é a região que mais baixa conteúdo neonazista na internet
Casal tenta pregar quadro de mulher negra mutilada e suásticas na UFRJ
Fã de Moro, líder de grupo separatista no Sul do Brasil é condenado por improbidade
Piscina com suástica é flagrada em Santa Catarina
Neonazistas cortam orelha, queimam e marcam garoto homossexual com suástica

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários