Redação Pragmatismo
Educação 24/Sep/2018 às 19:01 COMENTÁRIOS

Auxiliares de limpeza são educados ao invés de demitidos

Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza ao invés de demiti-los por não saberem ler

Auxiliares de limpeza educados alfabetizados demitidos
Imagem: Nátaly Bonato (reprodução)

Razões para Acreditar

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.

O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.

O relatório demorou 1 semana pra chegar e quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada e ai nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.

Ao invés de trocar a equipe, Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.

As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões por que eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.

As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.

Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.

E eles tiveram inclusive “formatura”com direito à beca e tudo!

Leia também:
Cidade brasileira será palco de experiência pedagógica revolucionária
Como o atual modelo de educação transforma pessoas em capital humano
Família deixa Bolsa Família após pai se formar em medicina
Como combater o analfabetismo funcional nas redes sociais?
Método Paulo Freire de alfabetização: as lembranças emocionadas da 1ª turma
A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal
Superar o racismo requer mais que ‘apenas’ educação

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários