Redação Pragmatismo
Barbárie 14/Aug/2018 às 13:44 COMENTÁRIOS

Filha de empregada doméstica é estuprada na casa dos patrões

Menina de 4 anos é estuprada em uma casa de classe média no Rio de Janeiro. Vítima é filha da empregada doméstica e levou 22 pontos internos e 8 externos na vagina. Abusador disse que não houve penetração

Uma menina de quatro anos de idade, filha da empregada doméstica de uma residência de classe média na zona oeste do Rio de Janeiro foi abusada sexualmente pelo filho da dona da casa.

O crime aconteceu há dez dias, mas só foi divulgado na última sexta-feira. Segundo informações da polícia, a mãe decidiu deixar a menor com os patrões para resolver problemas pessoais e disse que iria buscá-la no dia seguinte.

Na madrugada, Eduardo Gonçalves de Souza, 19 anos, filho da dona da casa, abusou sexualmente da menina. Quando buscou a filha no dia seguinte, a mãe percebeu que a criança tinha dificuldades para se mexer. Ao perguntar para ela o que houve, a garota contou a história.

À família, o abusador disse que não houve penetração e que usou os dedos. A criança ficou em estado de choque e foi levada para o hospital. No local, segundo a rádio Jovem Pan, ela levou 22 pontos internos e 8 externos na vagina por conta da violência sexual.

Pai da menina

“Minha ex-esposa trabalhava na casa da mãe do Eduardo há 3 anos. No sábado, ela precisou resolver uma situação. A chefe dela falou: ‘Pode deixar ela aqui, eu vou levar ela no shopping para passear’. E minha esposa deixou ela lá”, contou o pai da criança.

“Aí, no domingo de manhã, quando minha ex-esposa chegou à residência, a minha filha estava deitada no sofá da sala. Elas foram embora e minha filha começou a mancar. Minha ex-mulher perguntou o que tinha acontecido, e ela falou que tinha machucado na brinquedoteca. Aí a mãe dela falou: ‘Mas você não foi lá, fala a verdade’. Ai ela falou que foi o Eduardo que a machucou e apontou para as partes íntimas dela”, completou.

“Colocaram a minha filha na cama, e elas viram sangue escorrendo pelas pernas dela. Na hora, eles pegaram a minha filha e foram para o Hospital”, disse o pai.

“Ela já teve alta médica, mas foi encaminhada para outro hospital para fazer outra bateria de exames. Vai fazer procedimento psicológico e pediátrico. Minha mulher está em estado de choque, muito assustada”, concluiu.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários