Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 08/Jun/2018 às 16:34 COMENTÁRIOS

Juiz que libertou assassino da ex-mulher se pronuncia: "Não tenho bola de cristal"

Jovem de 23 anos foi assassinada pelo ex-marido três dias depois que o juiz colocou o agressor em liberdade. Magistrado se pronuncia: "Infelizmente, não temos bola de cristal"

juiz Aragonê Nunes Fernandes
O juiz Aragonê Nunes Fernandes

Responsável por libertar um homem que mataria a ex-esposa a facadas, o juiz Aragonê Nunes Fernandes disse “não ter bola de cristal” ao justificar a decisão que colocou nas ruas o assassino Vinícius Rodrigues de Sousa.

Três dias antes do crime, Vinícius havia sido preso em flagrante por espancar Tauane Morais na frente dos próprios filhos na cidade de Samambaia, no Distrito Federal (relembre aqui).

“Por não termos ‘bola de cristal’, não temos como prever aqueles que realmente concretizarão as ameaças que fazem. Prender a todos, indistintamente, não parece ser o melhor caminho a seguir”, afirmou Aragonê.

Como justificativa para conceder a liberdade provisória a Vinícius — o que culminou na morte de Tauane –, o magistrado afirmou que “infelizmente, todos os dias recebe um grande número de autuados envolvidos em crimes relacionados à Lei Maria da Penha”.

Nesta quinta-feira (7), um dia após a morte de Tauane, uma outra audiência de custódia de Vinícius Rodrigues de Sousa foi parar na mesa do juiz.

Dessa vez, a decisão de Aragonê Fernandes foi diferente. A prisão em flagrante foi convertida em preventiva — por tempo indeterminado.

Após dizer, na primeira audiência, que a medida protetiva era “suficiente” para preservar a integridade física da vítima, o magistrado voltou atrás e reconheceu a ineficiência da medida.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários