Redação Pragmatismo
Direita 10/Apr/2018 às 16:44 COMENTÁRIOS

Blogueiro do MBL leva “pescotapa” de Ciro Gomes e reclama: “Não sou Patrícia Pillar”

Blogueiro do MBL conhecido por tentar provocar políticos que considera desafetos leva “pescotapa” de Ciro Gomes e reclama: “Você acha que eu sou a Patrícia Pillar para você bater?”. O presidenciável nunca foi acusado de agredir a ex-esposa

Ciro Gomes Arthur do Val
Ciro Gomes e o blogueiro Arthur do Val

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT, teve um bate-boca com o blogueiro Arthur do Val, que responde pelo canal “Mamãe, falei” no YouTube, durante um evento nesta segunda-feira (9) em Porto Alegre (assista abaixo).

O blogueiro, que é conhecido por tentar trollar políticos e figuras públicas que considera desafetos, questionou Ciro Gomes sobre duas de suas manifestações sobre a prisão de Lula: uma na qual ele dizia que não descartava “sequestrar” Lula e entregá-lo a uma embaixada; e outra na qual dizia que iria receber o “pessoal do Moro na bala”.

O vídeo editado por Do Val mostra que Ciro Gomes se irrita com as perguntas feitas pelo blogueiro e diz que não falou nenhuma dessas coisas. Gomes ainda chama Do Val de “bobão”.

Ciro Gomes já tinha afirmado, em entrevista à jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, que o vídeo no qual ele cogitou o sequestro de Lula havia sido editado e tirado de contexto.

Na época da gravação, a polêmica da política nacional era sobre a nomeação de Lula como ministro da Casa Civil no governo de Dilma Rousseff.

Ciro disse que se referia à hipótese de haver uma prisão arbitrária e ilegal de Lula naquela época, e que sua proposta era montar uma comissão de juristas para avaliar se era esse o caso e, então, “livrar o Lula dessa prisão arbitrária e levá-lo para uma embaixada”.

Em relação ao outro vídeo, no qual Ciro teria dito que receberia “o pessoal do Moro na bala”, a declaração foi feita ao jornalista Luís Nassif: “hoje esse Moro mandou prender um blogueiro… ele que mande me prender. Eu recebo a turma dele na bala, se eu não estiver errado”.

Ciro Gomes também já se explicou em relação a isso: “Eles editaram, tiraram todas as condicionantes. A mais interessante de todas é uma condicionante geral: ‘se eu não fiz nada errado, eu não posso ser preso’, simples assim. É só isso que eu disse, nada mais. Talvez não tenha dito com as palavras mais ‘lordes’. É que eu não sou lorde”.

Agressão? Machismo?

Arthur Do Val acusou Ciro Gomes de agressão, dizendo que ele tinha dado “dois tapas” em sua nuca. Pelo vídeo, não é possível saber se os toques foram fortes.

Em seguida, o youtuber responde: “eu não sou a Patrícia Pillar pra você me bater”, referindo-se à atriz e ex-esposa do político. Ciro nunca foi acusado de agredir a ex-mulher.

Há 20 dias, em entrevista ao jornal O Globo, Patrícia Pillar declarou voto em Ciro Gomes em 2018 e afirmou que o ex-marido nunca foi machista.

Em 2002, Ciro concorria ao Planalto e, em uma entrevista, ao ser perguntado sobre qual era o papel de sua esposa na sua campanha, respondeu: “O papel da minha esposa é dormir comigo”. Desde então, a pecha de machista persegue o pedetista.

Convivi 17 anos com ele e ele nunca foi machista. Naquela campanha, ele era uma alternativa ao PT e ao PSDB, e estava super exposto, apanhando dos dois lados. Todas as entrevistas dele em que eu estava presente aparecia essa pergunta e sempre de forma provocativa. E, neste dia, já era a terceira ou quarta (…) Ele já tinha respondido que eu era sua companheira, que conversávamos sobre tudo, porque era isso mesmo, compartilhávamos um projeto de Brasil. Mas aí perdeu a paciência e deu aquela resposta infeliz”, explicou a atriz.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários