Redação Pragmatismo
Barbárie 04/Mar/2018 às 13:01 COMENTÁRIOS

Casal que teria matado a filha de apenas 5 anos tem prisão decretada

Mãe e pai chamaram o SAMU durante a noite desta sexta-feira (2) sob a justificativa de que a filha estava convulsionando após ter caído da cama, mas médicos suspeitaram que havia algo errado. Casal tem outros dois filhos, de 9 e 4 anos

Phelipe Douglas Débora matam filha
Phelipe Douglas e Débora Rolim, pais da pequena Emanuelly

Phelipe Douglas Alves, de 25 anos, e Débora Rolim da Silva, de 24 anos, foram presos neste sábado (3) na cidade de Itapetininga, em São Paulo.

O casal é suspeito de ter matado a filha, Emanuelly Aghata, de apenas 5 anos. A criança teria sido espancada por ambos e não resistiu aos ferimentos.

Phelipe e Débora acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) durante a noite da última sexta-feira (2) e disseram que a filha estava convulsionando após ter caído da cama.

A equipe médica que atendeu a ocorrência suspeitou dos hematomas no corpo da criança e chamou a polícia.

A menina foi levada ao pronto-socorro de Itapetininga e, devido à gravidade dos ferimentos, foi transferida ao Hospital Regional de Sorocaba (SP), mas não resistiu e morreu na manhã de sábado (3).

Depois da confirmação da morte da criança, o casal foi detido e encaminhado à delegacia. Em audiência de custódia, que durou cerca de duas horas, o juiz determinou a prisão preventiva do pais de Emanuelly até o dia do julgamento, que ainda não tem data marcada.

Os dois já tinham passagens pela polícia por suspeita de agressão e uso de drogas. A polícia disse ainda que objetos e aparelhos pessoais, como celulares, foram apreendidos e encaminhados para a perícia.

O casal tem outros dois filhos, uma menina de 9 anos e um menino de 4, que agora estão sob responsabilidade do Conselho Tutelar de Itapetininga.

Corpo velado

O corpo de Emanuelly Aghata da Silva está sendo velado na tarde deste domingo (4) no Cemitério de São João Batista. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Itapetininga, os custos do velório e enterro da menina serão custeados pela administração municipal.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários