Redação Pragmatismo
Corrupção 17/Nov/2016 às 11:27 COMENTÁRIOS

Sérgio Cabral é preso a mando do juiz Sergio Moro

Sérgio Cabral é o segundo ex-governador do Rio de Janeiro preso em menos de 24 horas. Ontem, a Polícia Federal prendeu Anthony Garotinho (PR)

Anthony Garotinho Sérgio Cabral presos
Anthony Garotinho (ex-presidenciável e ex-governador) e Sérgio Cabral estão presos

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (17) em seu apartamento, no Leblon, zona sul. Ele é alvo de dois mandados de prisão, sendo um deles expedido pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.

O outro mandado é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio, e faz parte da Operação Calicute, um desdobramento da Operação Lava Jato, deflagrada pela PF junto com o MPF (Ministério Público Federal) e a Receita Federal.

Segundo as investigações, Cabral liderava um grupo de pessoas que recebiam propina de empreiteiras que tinham contratos com o governo estadual. Uma das obras investigadas é a reforma no estádio do Maracanã. O prejuízo estimado é de R$ 224 milhões, de acordo com o MPF.

A mulher de Cabral e ex-primeira dama, Adriana Ancelmo, também foi levada para a Polícia Federal, a fim de cumprir mandado de condução coercitiva (quando a pessoa é encaminhada para prestar esclarecimentos em sede policial).

O casal deixou o prédio onde mora sob gritos de “bandido” e “ladrão”, por volta das 7h. Os policiais federais usaram spray de pimenta para dispersar um grupo de manifestantes, que se colocou em frente ao carro da PF.

“As investigações apontam para a prática de corrupção na contratação de diversas obras conduzidas no governo de Sérgio Cabral, entre elas, a reforma do Maracanã para receber a Copa de 2014, o denominado PAC Favelas e o Arco Metropolitano, financiadas ou custeadas com recursos federais”, diz o MPF.

Garotinho

Cabral é o segundo ex-governador do Rio preso em menos 24 horas. Ontem, a PF prendeu Anthony Garotinho (PR) em uma investigação sobre esquema de compra de votos em Campos dos Goytacazes (RJ) comandada pelo Ministério Público Eleitoral.

Garotinho, que foi governador do Estado entre 1999 e 2002 e deputado federal (exerceu mandato até 2015), ocupa atualmente o cargo de secretário municipal de Segurança em Campos, onde sua mulher é prefeita.

Há um mês, a PF prendeu oito pessoas, entre as quais dois vereadores, por conta de crimes eleitorais em Campos. De acordo com o inquérito, os vereadores Miguel Ribeiro Machado, o Miguelito (PSL), 51, e Ozéias Martins (PSDB), 47, ofereceram o benefício do Cheque Cidadão em troca de votos.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários