Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 07/May/2014 às 15:01 COMENTÁRIOS

Aplicativo ajudará no combate à violência doméstica

Aplicativo ajudará a combater violência doméstica contra as mulheres. Projeto terá um mecanismo com o botão “Pânico” que ao ser acionado avisará instantaneamente as redes de atendimento de proteção da mulher sobre a situação de perigo

aplicativo combate à violência doméstica geledés

O projeto Promotoras Legais Populares 2.0 (PLP 2.0), desenvolvido pelas ONGs brasileiras Instituto Geledés e THEMIS Gênero, Justiça e Direitos Humanos, está entre os 10 projetos finalistas que concorrem ao prêmio Desafio Impacto Social. O concurso é promovido pela empresa Google, que premiará com 1 milhão de reais e apoio tecnológico projetos e iniciativas que usam a tecnologia para solucionar problemas no âmbito social no Brasil.

Nesta quinta-feira, 08 de maio, os finalistas apresentarão seus projetos a serem julgados pela diretora do Google.org, Jacqueline Fuller, o apresentador de TV Luciano Huck, a empreendedora social Viviane Senna, o empresário Josué Gomes e o músico MV Bill. Eles escolherão três vencedores e anunciarão o primeiro lugar na votação pública (iniciada no último dia 29 de abril, se estendendo até 08 de maio).

A proposta do projeto PLP 2.0 é criar um aplicativo para apoiar mulheres vítimas de violência doméstica. De acordo com a ONG Geledés, o projeto finalista terá um mecanismo com o botão “Pânico” que ao ser acionado avisará instantaneamente as redes de atendimento de proteção da mulher sobre a situação de perigo, além de gravar áudio e vídeo pelo celular para gerar provas da situação vivida pela vítima. Para conhecer mais sobre a ONG e a proposta do aplicativo acesse o site http://www.geledes.org.br/.

A expectativa das entidades é de que em um período de três anos 1 milhão de mulheres brasileiras tenham acesso rápido e eficaz às medidas de proteção prevista na Lei Maria da Penha, e que os índices de homicídios e violência contra a mulher reduzam significativamente.

Segundo dados fornecidos pela Geledés, o Brasil possui um dos maiores índices do mundo de violência contra a mulher. A cada uma hora e meia, uma mulher é morta no Brasil. Só na última década, cerca de 43,5 mil mulheres foram assassinadas no Brasil, cerca de 4.500 por ano.

Para participar da votação popular do concurso acesse https://desafiosocial.withgoogle.com/brazil2014. Para conhecer mais sobre a ONG THEMIS Gênero, Justiça e Direitos Humanos, parceira na criação do aplicativo PLP 2.0 acesse http://www.themis.org.br/

Leia também:
McDonald’s recebe chuva de críticas por “homenagem” ao Dia da Mulher
A história das mulheres brasileiras que foram à luta por seus direitos
Você é feminista ou sabe o que é feminismo? Faça o teste
Violência doméstica: Famosas ‘apanham’ em ilustrações de artista
Homens e mulheres só terão salários equivalentes em 118 anos
Você realmente acredita no “vitimismo” de negros, gays e mulheres?
Mulher vítima de violência doméstica grava vídeo inspirador
Os 20 empregos que melhor remuneram mulheres no Brasil
Por que pastores não falam sobre violência doméstica?

Adital

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 07/May/2014 às 17:53

    As pessoas acham frescura isso, mas há mulheres neste exato momento acuada em um cômodo sendo ameaçada pelo seu "companheiro", sofrendo todas as formas de violência psicológica e a maioria delas aceita esta situação com a esperança do afeto mudar para melhor, ou não tem para onde ir e como sustentar as crianças.