Luis Soares
Colunista
Eleições 2014 16/Jul/2013 às 14:17 COMENTÁRIOS
Eleições 2014

Dilma não venceria no 1º turno, aponta nova pesquisa CNT

Luis Soares Luis Soares
Publicado em 16 Jul, 2013 às 14h17

Pesquisa da CNT aponta que Dilma Rousseff teria 33,4% dos votos. Marina Silva aparece em segundo e Aécio Neves em terceiro

dilma marina eleições 2014

Dilma Rousseff e Marina Silva (Foto: Uol)

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou, nesta terça-feira (16), os resultados da 114ª pesquisa em parceria com o instituto MDA. Segundo a pesquisa, se as eleições presidenciais de 2014 fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff teria 33,4% dos votos, contra 20,7% de Marina Silva (Rede Sustentabilidade); 15,2% do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e 7,4% do governador Eduardo Campos (PSB-PE).

A queda de Dilma em relação à pesquisa anterior é de 19,4 pontos percentuais e a disputa iria para o segundo turno. Na pesquisa anterior, de junho, a presidenta venceria ainda no primeiro turno. No levantamento anterior, Dilma tinha 52,8% das intenções de voto, contra 17% de Aécio, que também caiu; 12,5% de Marina e 3,7% de Eduardo Campos.

Manifestações e popularidade

O desempenho pessoal da presidenta foi avaliado como positivo por 49,3% dos entrevistados. O dado mostra queda, em comparação a última pesquisa quando o percentual foi de 73,7%. No total, 47,3% desaprovam a gestão de Dilma. Em junho, os que desaprovavam o governo eram 20,4% dos entrevistados.

Leia também

A pesquisa registra que a queda na avaliação da atuação da presidenta Dilma ocorre após as manifestações públicas realizadas por todo o país “as quais foram motivadas, principalmente, por insatisfação elevada com a qualidade dos serviços públicos, gastos com a Copa do Mundo e com a corrupção”, diz o texto.

De acordo com a pesquisa, 84,3% da população aprova as manifestações que têm ocorrido no país desde junho.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 134 municípios de 20 Estados, das cinco regiões, entre os dias 7 e 10 de julho de 2013. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Agência Brasil e CNT

Recomendações

Comentários

  1. Cacique Postado em 16/Jul/2013 às 18:35

    Não há dúvida de que mesmo que as manifestações gritem "fora Alckmin" em São Paulo ou " Fora Paes" no Rio, elas afetam diretamente a Dilma também.

  2. Anon Postado em 16/Jul/2013 às 18:48

    É, conseguiram usar as manifestações para enfraquecer o governo. Na minha opinião, acredito que por ser um partido de esquerda o governo do PT poderia (e deveria) ter feito mais pelo povo brasileiro. Foram muito melhores que PSDB e cia, sem dúvida, mas pecaram em muitas coisas. Mas não sou ninguém para julgá-los, talvez o PT tivesse ótimas intenções e ao chegar à presidência viu que não podia fazer nada... não sei, é uma possibilidade. A minha preocupação é: se o PT enfraqueceu, quem vai entrar no lugar? Esse ano foi marcante para a política brasileira, penso que muita gente acordou e percebeu que os partidos de direita e a grande mídia são nossos inimigos, mas a esquerda precisa urgente de um candidato forte para não deixar nosso país cair nas mãos deles! A Marina Silva também não é uma boa opção, prefiro continuar com a Dilma do que ter uma religiosa (evangélica) conservadora no poder (só pra constar, ela defende Marco Feliciano, espero que isso signifique alguma coisa pra vocês). Respeito todas as religiões e não estou generalizando nada, mas não estou errado quando digo que a grande maioria das Igrejas Evangélicas/Protestantes implanta em seus seguidores valores preconceituosos e que vão contra qualquer noção que temos de democracia e igualdade social. E isso é MUITO perigoso, a bancada evangélica está se fortalecendo cada vez mais, não queiram saber como é viver em um país dominado por uma religião altamente conservadora que fará de tudo para impor seus valores sobre a população.

  3. Thiago Teixeira Postado em 16/Jul/2013 às 21:42

    Acho que nos resta é usufruir de mais dois anos de governo comprometido com as classes D / E. A maioria do povo Brasileiro é pobre, depende da assistência do poder público para suas necessidades básicas. Em contra partida assisto esses bandos de safados egoístas se corroendo por dentro só porque uma empregada doméstica pega a mesma fila no hipermercado do shopping center para fazer suas compras.

  4. Vander Postado em 16/Jul/2013 às 23:28

    Finalmente o povo esta acordando da letargia.

  5. Pedro Postado em 17/Jul/2013 às 05:46

    O resultado das manifestações acabou saindo um pouco pela culatra, em termos políticos, pois agora corremos o risco de eleger a bláblárina em 2014. Uma grande farsa política, escondida sob um partido(?) de nome bonito mas que se assemelha com o PMDB, ou com a criação recente do PSD, angariando refugiados de todos os outros países, sem levar em conta suas posições em relação a política social. A Rede não é esquerda, nem direita, porque não é nada. É um amontoado de gente querendo se aproveitar da vontade do povo de trocar o poder das mãos PT-PSDB.