Redação Pragmatismo
Homofobia 18/Jan/2013 às 16:50 COMENTÁRIOS
Homofobia

"Congresso brasileiro é conservador e derrotaremos os gays no voto"

Publicado em 18 Jan, 2013 às 16h50

Candidato evangélico quer derrotar gays no voto. Na disputa pela presidência da Câmara, Ronaldo Fonseca diz que quer pautar propostas que opõem religiosos e homossexuais, como o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, e que não aceita “ditadura gay”

Edson Sardinha, Congresso em Foco

Evangélico, pastor da Igreja Assembleia de Deus, advogado e, de acordo com suas próprias palavras, “amante do debate”. Para chegar à presidência da Câmara, cargo que cobiça mesmo sem o apoio de seu partido, o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF) terá de superar desafios inéditos: ser o primeiro estreante e o primeiro líder evangélico a conquistar o comando da Casa. O deputado de 52 anos exerce seu primeiro cargo eletivo e promete combater os “vícios” do Legislativo, como o corporativismo, a submissão ao Executivo e a falta de discussão.

“Não serei um presidente engavetador”, promete. Em entrevista ao Congresso em Foco, o candidato diz que a frente parlamentar evangélica não pode mais “andar a reboque” e ser surpreendida com a votação de propostas que contrariam suas crenças, como as que dizem respeito aos homossexuais. Segundo o deputado, a Casa tem de aprofundar o debate e levar projetos como o da união civil entre pessoas do mesmo sexo a voto. Para ele, os militantes do movimento gay temem que essas propostas sejam votadas por anteverem o seu provável desfecho.

ronaldo fonseca evangélico

“A homofobia, como eles dizem, não existe. Isso é uma ficção”, afirma deputado Ronaldo Fonseca, que concorre à presidência da Câmara. (Foto: Congresso em Foco)

“Se for para derrotar, que seja no voto. Comigo é assim, é no voto. Eles não querem. Esses grupos já pegaram vício do Parlamento. Eles fazem barulho, barulho. Quando propomos ir ao plenário, aí não querem, porque sabem que vão ser derrotados. Temem a derrota porque o Parlamento brasileiro é tradicional e conservador e somos um país cristão”, declara Ronaldo.

O candidato diz que também pretende incluir na pauta de votação, caso seja eleito, outros temas que causam polêmica entre os evangélicos, como a descriminalização do aborto e a legalização da prostituição – este, objeto de projeto de lei do deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), um dos principais representantes da comunidade LGBT no Congresso.

Leia também

“Vamos para o debate e votar. A sociedade brasileira quer a prostituição profissionalizada? Então vamos para o voto, ampliar o canal de acesso da sociedade com a Câmara. Quero ouvir a sociedade. Quem ganhar, levou, meu amigo. Democracia é isso”, diz Ronaldo, que promete dar tratamento igualitário a outras frentes parlamentares, inclusive a da liberdade de expressão sexual.

Mesmo ressalvando as divergências, ele elogia o trabalho do deputado Jean Wyllys na defesa dos homossexuais. “Acho que ele faz um excelente trabalho como representante LGBT. Não concordo com as propostas dele, mas ele mostra a cara. O parlamentar tem de mostrar a cara”, considera.

“Ficção”

O candidato à presidência da Câmara revela sua posição em relação a outro tema sensível à comunidade LGBT: o projeto de lei que torna crime a manifestação de preconceito ou violência contra homossexuais, a homofobia. Para ele, nem mesmo as estatísticas que apontam o crescimento da violência contra os homossexuais justificam a mudança na legislação. “Qual o problema? O Código Penal disciplina isso, você tem os agravantes. Eles querem ser especiais aonde? A homofobia, como eles dizem, não existe. Isso é uma ficção. A homofobia, para eles, é quem é contra a prática deles”, critica o deputado.

Ronaldo Fonseca diz que a proposta atualmente em discussão no Senado fere o direito dos religiosos de expressarem sua reprovação à orientação homossexual. “Não pode é incitar a violência. Mas isso o Código Penal já disciplina. É burrice, besteira. Querem transformar isso em crime inafiançável, querem me tirar o direito de opinião”, afirma.

Para ele, a opinião dos religiosos precisa ser respeitada por refletir outra visão de parcela expressiva da sociedade sobre o assunto. “Só digo que não concordo com a prática deles, porque, para mim, por questão de fé, é pecado como a prostituição e o adultério. É pecado e eu não aceito. Isso não quer dizer que você não possa ser gay”, emenda.

Pastor da Assembleia de Deus em Taguatinga (DF), o deputado afirma que sua visão religiosa não influenciará em sua eventual passagem pelo comando da Câmara. “Isso aqui não é igreja”, diz. Mas avisa: “Ditadura gay eu não aceito”.

Para o deputado, os veículos de comunicação e o Judiciário atuam em sentido contrário aos interesses dos evangélicos. “Aquilo que eu defendo para a sociedade não é muito simpático para grupos que controlam e dominam parcialmente essa sociedade”, avalia. Segundo ele, a mídia brasileira reduz intencionalmente o espaço para o ponto de vista cristão”.

Mais polêmicas

No começo de seu terceiro ano na Câmara, Ronaldo Fonseca é um dos três candidatos que desafiam o favorito à sucessão de Marco Maia (PT-RS), o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Além dos dois, também concorrem ao segundo cargo na linha sucessória da Presidência da República os deputados Júlio Delgado (PSB-MG) e Rose de Freitas (PMDB-ES). A polêmica com os homossexuais não é a única.

O deputado também assume outras posições que também suscitam discussões, como a tese de que os evangélicos foram envolvidos, por meio de uma “armação” como “sanguessugas”, no esquema da chamada máfia das ambulâncias, de 2006, para abafar o mensalão. Parte dos parlamentares envolvidos no caso integrava a frente parlamentar, o que reduziu à metade a representação evangélica no início da legislatura passada.

Ele também defende que o mensalão não existiu e não passou de um “acordo entre partidos”. Critica a “vaidade” dos ministros do Supremo Tribunal Federal no julgamento da Ação Penal 470 e a falta de resposta da Câmara às demandas da sociedade e também aos “ataques” que parlamentares recebem por parte da mídia, segundo ele. O pastor condena, ainda, a falta de independência, a “ditadura dos líderes partidários” e o corporativismo. “Em todo lugar tem safado. Na igreja, você também tem pastor e padre safados. Mas tem mecanismos para expurgar. A Câmara também”, afirma.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. caio Postado em 18/Jan/2013 às 17:57

    Eu honestamente nao sei por onde começar, tantas besteiras, contradiçoes, clara falta de conhecimento sobre os assuntos. Precisei de varias pausas durante a leitura para engolir a raiva diante de tanta ignorancia, e pensar que existem pessoas muito mais radicais...

  2. Alexandre Postado em 18/Jan/2013 às 18:20

    O Brasil não é um país cristão é um país LAICO, se esse sr. não conheçe e respeita a constituição me impressiona que seja advogado e pleitei a presidência da câmara, de resto direitos não se plebiscitam, uma democrâcia respeita o direito de TODOS. Em relação a prostituição é pura hipocrisia, o mundo inteiro sabe que o Brasil é a casa da luz vermelha, o antro de putaria do planeta, o aborto é mais corriqueiro que comprar pão na padaria, essa moralzinha hipócrita é de cair o cú da bunda.

  3. Luiz Fernando Postado em 18/Jan/2013 às 18:53

    Psicopata e falso moralista, característico da paranoia conservadora, entreguista e anticonstitucional, que faz de ficção a realidade que está logo ali, debaixo do nariz, e cria ficção atrás de ficção em cima do governo atual, enfiando goela abaixo que o Brasil não pode estar nas mãos de brasileiros.

  4. JP Postado em 18/Jan/2013 às 20:30

    o STF ja deu a martelada sobre o assunto, esse crentelho qer mecher nisso d novo pra q? tanta coisa mais urgente pra ser votada, tocar em assunto encerrado pra q?

  5. Sérgio B. Postado em 18/Jan/2013 às 22:26

    Sou leigo em relação a certo assuntos, mas este sr. defende o voto da sociedade para a descriminalização da prostituição. Se isso pode, então pra que nós votamos em políticos, visto que a função dele é votar no congresso sobre assuntos como esse? Este cara é um lunático c/ a mente alienada e religiosa. É lamentável ter uma pessoa dessas a frente de nosso governo.

  6. jr fidalgo Postado em 19/Jan/2013 às 06:58

    A dialética da libertação no filme "O Golpista do Ano" http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-dialetica-da-libertacao-no-filme-o-golpista-do-ano

  7. Fábio Postado em 19/Jan/2013 às 09:51

    Alexandre o brasil não é um país LAICO, se fosse não terimos feriados religiosos e padroeira da nação!

  8. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 19/Jan/2013 às 15:11

    O que a bancada evangélica está fazendo é criar uma geração de gays dispostos se defender a qualquer preço, pois não sabendo lidar com a questão, criam hordas de pessoas revoltadas. Vejo um "olho por olho, dente por dente" no horizonte dessa questão. ... e Jesus, o Evangelho não tem nada a ver com isso. É uma lástima o testemunho de pessoas como o deste deputado. É um comportamento doentio, já.

  9. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 19/Jan/2013 às 15:51

    O que a bancada evangélica está fazendo é criar uma geração de gays dispostos a se defender a qualquer preço, pois não sabendo lidar com a questão, geram hordas de pessoas revoltadas. Vejo um “olho por olho, dente por dente” no horizonte dessa questão. … e Jesus, o Evangelho não tem nada a ver com isso. É uma lástima o testemunho de pessoas como o deste deputado. É um comportamento doentio, já.

  10. Jorge Postado em 20/Jan/2013 às 09:15

    Esse imbecil, como cristão que se diz, deveria tá pregando a tolerância, a igualdade, a fraternidade, mais educação, mais saúda, mais transportes...

  11. marcos Postado em 20/Jan/2013 às 19:57

    Isso tudo é fruto da própria sexualidade reprimida desse sujeito... Triste situação

  12. Eduardo M. Postado em 21/Jan/2013 às 21:32

    O grande problema é que o congresso virou palco de grupos extremistas dispostos a defenderem única e exclusivamente os os próprios interesses a qualquer custo. Não há, de fato, vontade de se defender direitos básicos da grande maioria da população.

  13. Andrão Postado em 22/Jan/2013 às 11:51

    Besteira pouca é bobagem!! Porém o parlamento é isso, voz para todos, cada um defende o seu direito, sejam extremistas ou não. Apenas um ponto concordei com esse "advogado-lunático-cristão", temos que decidir no voto e dar voz à todos, seja quem for.

  14. Eduardo M. Postado em 22/Jan/2013 às 16:37

    Infelizmente ainda vemos pessoas que acham que interesses de determinados grupos devem prevalecer sobre direitos coletivos. Quanta idiotice! Pois é, meu amigo, a grande maioria da população não tem direito a educação, segurança pública, saúde (pessoas ainda morrem nos hospitais públicos por falta de assistência médica, inclusive gays e evangélicos) crianças ainda morrem de fome nesse país, cadeias que são verdadeiras fábricas de monstros etc. etc.etc... e não vejo quem defenda esses direitos constitucionais. Quem pode lançar mão desse luxo são grupos financiados pelo poder econômico para defender direitos de minorias, esse é o nosso congresso, e são sim grupos extremistas preocupado com o próprio umbigo... Antes de sermos evangélicos, gays, palhaços, por ouvir tanta baboseira, somos cidadãos e não temos , ainda , essa consciência de coletividade e enquanto tivermos essa visão distorcida de que é cada um por si, continuaremos sem conseguir enxergar que somos todos iguais e devemos ser respeitados, antes de tudo , como Cidadãos.

  15. Eduardo M. Postado em 22/Jan/2013 às 17:33

    (Correção) Infelizmente ainda vemos pessoas que acham que interesses de determinados grupos devem prevalecer sobre direitos coletivos. Quanta idiotice! Pois é, meu amigo, a grande maioria da população não tem direito a educação, segurança pública, saúde (pessoas morrem nos hospitais públicos por falta de assistência médica, inclusive gays e evangélicos) crianças ainda morrem de fome nesse país, cadeias que são verdadeiras fábricas de monstros etc. etc.etc… e não vejo quem defenda esses direitos constitucionais. Quem pode lançar mão desse luxo são grupos financiados pelo poder econômico para defender direitos de minorias, esse é o nosso congresso, e são sim grupos extremistas preocupados com os próprios umbigos… Antes de sermos evangélicos, gays, palhaços, por ouvir tanta baboseira, somos cidadãos e não temos , ainda , essa consciência de coletividade e enquanto tivermos essa visão distorcida de que é cada um por si, continuaremos sem conseguir enxergar que somos todos iguais e devemos ser respeitados, antes de tudo , como Cidadãos.

  16. Edilson Postado em 25/Fev/2013 às 16:20

    Engraçado, que nessa hora aparece um monte de comentários aqui dizendo que o Brasil não é cristão, e sim laico, mas por que será que 99% dos tribunais de justiça tem um crucifixo pendurado? Porque será que 60% das escolas tem uma capela com uma imagem? Porque tem tantos dias "santos" que são feriados cristãos? Laico? Quando? Só quando interessa. O cara ta certo. tem que ser no voto mesmo. E quanto aos gays, digo o seguinte: o corpo é seu, faça o que quiser, mas não tente me obrigar a concordar, pois a mente é minha, e penso o que quiser. O cara ta certo de novo. Homofobia é discriminar, de alguma forma, os gays. agora, dizer que não concorda com o homossexualismo, é OPINIÃO, prevista no art. 5o da Constituição da República.

  17. JAQUELINE Postado em 28/Fev/2013 às 08:41

    engraçado vossas excelência baluarte da moral e dos bons costumes não quer acabar com a pedofilia, maus tratos aos animais,guerra, fome,miséria, corrupção grupos neo-nazistas isso parece mais o tempo de roma e da inquisição, se cristo voltasse a terra ele iria morrer na cruz novamente a humanidade esta se desgraçando por causa desses fundamentalistas do ódio ninguem pode ser negro espirita judeu cadeirante eles querem exterminar eu quero que eles me apresentem a procuração que deus passou para substitui-lo ABERT EINSTEIN ESTA CERTO A BIBLIA É UMA COLEÇÃO DE LENDAS HONRADAS, ele tem direito a defender a opinião dele como qualquer um de nós agora levantar a bandeira da perseguição e do odio e falta de humanidade e ainda se dizem portador da palavra divina que lástima

  18. JAQUELINE Postado em 28/Fev/2013 às 08:52

    nossa sociedade esta cheia de problemas mas sérios que precisam de atenção e vossas excelências preocupados com banalidades essa vida é transitória enquanto estamos por aqui vamos nos ocupar de causa importantes a doença não escolhe cor raça ou credo a os desastres naturais também não escolhe o bandido quando rouba a vida de uma familia não pergunta qual a sua preferência sexual isto tudo é muito triste!

  19. beto Postado em 26/Mar/2013 às 13:18

    ta na hora de parar de dar créditos a esses assunto envolvendo esses pastores desgraçados, eu conheço na igreja deles , prostitutas, gays, e viciados que la estao com a biblia debaixo do braço pensando que é desodorante.( tenho fotos que comprovam o que digo), além do mais eu queo que coloauem uma banana de dinamite no traseiro de cada um deles e que explodam o que sobrou, isso mesmo, o que sobrou, pois eles falam tanto dos gays porque nao pegaram o "bofe" certo, que fosse com cuidado da primeira vez deles..., acabaram estragando o....deles e eles se revoltaram. Vao pra PQP seus ladroes disfarçados de pastor do inferno .

  20. Priscila Postado em 29/Mar/2013 às 21:47

    homofobia não existe assim como o racismo né pastor... o problema não está em não gostar de gay, mas em agredir, violar... esse é o problema... acho que a exemplo de quem tem emissoras de TV pastores não deveriam se candidatar a nada... não deveriam ser políticos, justamente porque religião e política não combinam... os maiores ditadores foram religiosos convictos e tentaram ligar a religião ao estado... eu sou cristã e quero o cristianismo longe da política

  21. Fabiano Postado em 11/Abr/2013 às 21:08

    de acordo com a bíblia, até se barbear é pecado... pfff.. que besteirol...

  22. Eduardo Postado em 15/Abr/2013 às 13:45

    "Será que nunca faremos Senão confirmar Na incompetência Da América católica Que sempre precisará De ridículos tiranos Será, será, que será?"

  23. Oscar Postado em 17/Abr/2013 às 02:55

    Ô Beto (do comentário de 26 de março): taí! Você escreveu tudo o que eu tinha vontade de escrever, mas ainda não havia encontrado as palavras certas. Parabéns!