Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 05/Sep/2013 às 15:59
23
Comentários
Revista Fórum

Militares se irritam com a Globo: "Covardes. Equívoco, uma ova!"

Ex-militares criticam "nota de arrependimento" e afirmam que apoio da Globo ao golpe era um posicionamento político firmemente defendido por Roberto Marinho

globo ditadura militar merda
Fachada da Rede Globo foi recentemente atacada com esterco por manifestantes (Reprodução)

Nesta quarta-feira, 4, o Clube Militar, organização que reúne ex-militares e oficiais da Marinha, Exército e polícia, divulgou uma nota em seu site criticando o editorial “Apoio editorial ao golpe de 64 foi um erro”, publicado em 31 de agosto pelo jornal O Globo.

O texto do jornal carioca afirmou que “as Organizações Globo reconhecem que, à luz da História, esse apoio [ao golpe militar] foi um erro”. Por sua vez, o Clube Militar respondeu ao editorial com uma nota intitulada “Equívoco, uma ova!”, na qual questiona o posicionamento atual do jornal ao afirmar que seu apoio ao golpe de 64, chamado pelos militares de “revolução”, foi um erro passageiro.

“O apoio ao Movimento de 64 ocorreu antes, durante e por muito tempo depois da deposição de Jango; em segundo lugar, não se trata de posição equivocada “da redação”, mas de posicionamento político firmemente defendido por seu proprietário, diretor e redator chefe, Roberto Marinho, como comprovam as edições da época”, diz a nota do Clube Militar.

Leia também

A nota ainda afirma que o apoio ao regime militar perdurou pelo menos até meados da década de 80. “Não foi, também, como fica insinuado, uma posição passageira revista depois de curto período de engano, pois dez anos depois da revolução, na edição de 31 de março de 1974, em editorial de primeira página, o jornal publica derramados elogios ao Movimento; e em 7 de abril de 1984, vinte anos passados, Roberto Marinho publicou editorial assinado, na primeira página, intitulado “Julgamento da Revolução”, cuja leitura não deixa dúvida sobre a adesão e firme participação do jornal nos acontecimentos de 1964 e nas décadas seguintes”.

Leia a íntegra da nota do Clube Militar:

Nossa opinião – Equívoco, uma ova!

Numa mudança de posição drástica, o jornal O Globo acaba de denunciar seu apoio histórico à Revolução de 1964. Alega, como justificativa para renegar sua posição de décadas, que se tratou de um “equívoco redacional”.

Dos grandes jornais existentes à época, o único sobrevivente carioca como mídia diária impressa é O Globo. Depositário de artigos que relatam a história da cidade, do país e do mundo por mais de oitenta anos, acaba de lançar um portal na Internet com todas as edições digitalizadas, o que facilita sobremaneira a pesquisa de sua visão da história.

Pouca gente tinha paciência e tempo para buscar nas coleções das bibliotecas, muitas vezes incompletas, os artigos do passado. Agora, porém, com a facilidade de poder pesquisar em casa ou no trabalho, por meio do portal eletrônico, muitos puderam ler o que foi publicado na década de 60 pelo jornalão, e por certo ficaram surpresos pelo apoio irrestrito e entusiasta que o mesmo prestou à derrubada do governo Goulart e aos governos dos militares. Nisso, aliás, era acompanhado pela grande maioria da população e dos órgãos de imprensa.

Pressionado pelo poder político e econômico do governo, sob a constante ameaça do “controle social da mídia” – no jargão politicamente correto que encobre as diversas tentativas petistas de censurar a imprensa – o periódico sucumbiu e renega, hoje, o que defendeu ardorosamente ontem.

Alega, assim, que sua posição naqueles dias difíceis foi resultado de um equívoco da redação, talvez desorientada pela rapidez dos acontecimentos e pela variedade de versões que corriam sobre a situação do país.

Dupla mentira: em primeiro lugar, o apoio ao Movimento de 64 ocorreu antes, durante e por muito tempo depois da deposição de Jango; em segundo lugar, não se trata de posição equivocada “da redação”, mas de posicionamento político firmemente defendido por seu proprietário, diretor e redator chefe, Roberto Marinho, como comprovam as edições da época; não foi, também, como fica insinuado, uma posição passageira revista depois de curto período de engano, pois dez anos depois da revolução, na edição de 31 de março de 1974, em editorial de primeira página, o jornal publica derramados elogios ao Movimento; e em 7 de abril de 1984, vinte anos passados, Roberto Marinho publicou editorial assinado, na primeira página, intitulado “Julgamento da Revolução”, cuja leitura não deixa dúvida sobre a adesão e firme participação do jornal nos acontecimentos de 1964 e nas décadas seguintes.

Declarar agora que se tratou de um “equívoco da redação” é mentira deslavada.

Equívoco, uma ova! Trata-se de revisionismo, adesismo e covardia do último grande jornal carioca.

Nossos pêsames aos leitores.

Revista Fórum

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilherme Postado em 05/Sep/2013 às 16:39

    mesmo com "as diversas tentativas petistas de censurar a imprensa" , estes nunca serão tão eficazes quanto os militares foram neste quesito

    • Luciana Coelho Postado em 22/Oct/2013 às 13:20

      Pois é, né? Que cara de pau desses milicos...

  2. Thiago Teixeira Postado em 05/Sep/2013 às 17:03

    Agora a configuração do SITE ficou nota 10!!!!!!

  3. Mirna Postado em 05/Sep/2013 às 17:39

    Se depender da minha pessoa as ruas ficarão vazias, se for saudosos da ditadura,depois de tantos torturados e desaparecidos,o que era nossa educação e no que virou com a ditadura,uma geração inteira sem opinião,pois colocaram mordaça em todos.Se isso voltasse eu morreria,pois tenho netos,e sobrinhos netos que não quero nem de longe que conheçam esta barbárie que é uma ditadura.

    • Walker Postado em 06/Sep/2013 às 13:12

      Tantos torturados e desaparecidos, os que escaparam dessas barbáries estão no poder hoje(...)

  4. Mirna Postado em 05/Sep/2013 às 17:45

    Rede Globo,a vida é um bumerangue,tudo que se lança volta,é o que esta acontecendo ,o povo não aguenta mais as suas mentiras,não adianta dizer agora que foi um engano,voces lucraram muito com o Golpe de 64,sua portas irão fechar se depender da população.

  5. LUIZ GIANCOLI Postado em 05/Sep/2013 às 20:24

    SE HOUVESSE UM LEVANTE DO MESMO JEITO QUE HOUVE CONTRA O GOVERNO HOJE OS CASTICOS SERIAM 100 VEZES PIORES, A DITADIURA COMO PODE SER CHAMADA DOS MILITARES TEVE SEUS MOTIVOS DESESPERADOS PARA MANTER UM PAIS DENTRO DOS PADROES , HOJE E MUITO DIFICIL FALAR O QUE E CERTO E ERRADO PORQUE OS PADROES NAO MUDARAM MUITO SO A FORMA DE TRATAR , O MJUNDO CONTINUA NUMA DITADURA NAO MELHOR NAO PIOR , SO QUE COM NOVAS FORMAS DE GERIR INFELIZMENTE, COMO O PRAG POLITICO E DA SITUACAO LOGICO QUE ACHARA QUE ESTOU ERRADO QUE NEM MINHA IRMA QUE ACHA QUE A SITUACAO ESTA CERTA , MAS O MUNDO PARA TER LUCRO TEM QUE TER AS DUAS CARAS E HOJE NUNCA VI PIOR

  6. LUIZ GIANCOLI Postado em 05/Sep/2013 às 20:24

    SE HOUVESSE UM LEVANTE DO MESMO JEITO QUE HOUVE CONTRA O GOVERNO HOJE OS CASTICOS SERIAM 100 VEZES PIORES, A DITADIURA COMO PODE SER CHAMADA DOS MILITARES TEVE SEUS MOTIVOS DESESPERADOS PARA MANTER UM PAIS DENTRO DOS PADROES , HOJE E MUITO DIFICIL FALAR O QUE E CERTO E ERRADO PORQUE OS PADROES NAO MUDARAM MUITO SO A FORMA DE TRATAR , O MJUNDO CONTINUA NUMA DITADURA NAO MELHOR NAO PIOR , SO QUE COM NOVAS FORMAS DE GERIR INFELIZMENTE, COMO O PRAG POLITICO E DA SITUACAO LOGICO QUE ACHARA QUE ESTOU ERRADO QUE NEM MINHA IRMA QUE ACHA QUE A SITUACAO ESTA CERTA , MAS O MUNDO PARA TER LUCRO TEM QUE TER AS DUAS CARAS E HOJE NUNCA VI PIOR

    • poisé Postado em 06/Sep/2013 às 15:26

      Se mata milico, o tempo de vcs ja morreu, vai pregar pros coxas que batem continencia a esse tipo de ignorância. reaça desumano.

    • Luciana Coelho Postado em 22/Oct/2013 às 13:27

      Ah! Então invadir residências e sequestrar pais de família para torturar e matar eram só "castigos para manter o país dentro dos padrões"? Se hoje está pior, pelo menos seus filhos e netos estão seguros e não vão ser mortos por pensarem diferente.

  7. LUIZ GIANCOLI Postado em 05/Sep/2013 às 20:24

    SE HOUVESSE UM LEVANTE DO MESMO JEITO QUE HOUVE CONTRA O GOVERNO HOJE OS CASTICOS SERIAM 100 VEZES PIORES, A DITADIURA COMO PODE SER CHAMADA DOS MILITARES TEVE SEUS MOTIVOS DESESPERADOS PARA MANTER UM PAIS DENTRO DOS PADROES , HOJE E MUITO DIFICIL FALAR O QUE E CERTO E ERRADO PORQUE OS PADROES NAO MUDARAM MUITO SO A FORMA DE TRATAR , O MJUNDO CONTINUA NUMA DITADURA NAO MELHOR NAO PIOR , SO QUE COM NOVAS FORMAS DE GERIR INFELIZMENTE, COMO O PRAG POLITICO E DA SITUACAO LOGICO QUE ACHARA QUE ESTOU ERRADO QUE NEM MINHA IRMA QUE ACHA QUE A SITUACAO ESTA CERTA , MAS O MUNDO PARA TER LUCRO TEM QUE TER AS DUAS CARAS E HOJE NUNCA VI PIOR

  8. Andre Luciano Postado em 05/Sep/2013 às 20:28

    Assim como apoiar o golpe foi um posicionamento político voltado ao interesse corporativo dessa fétida mídia governista, a nota de arrependimento não passa de mais um posicionamento político com algum interesse para fins ilicitamente lucrativo diante da esfera Oligarquica. A quem querem enganar? A quem de fato é bem esclarecido? Abraça, lógico que não. Esse blá, blá, blá, essa super bonder de persuasão de massas não cola mais em mentes bem esclarecidas.

  9. renato Postado em 05/Sep/2013 às 20:29

    Rede Globo, Ver de Novo. Então a milicada achou ruim, fizeram beicinho. Com a mamãe do Golpe. Ui, mamãe me abandonou. Vão se catá, milicada do caramba. Gente má, gente ruim. Envergonharam a farda. Envergonharam o Brasil. Colaram uma pagina de nossa história com sangue, com vidas.

    • Marco Aurélio Postado em 06/Sep/2013 às 01:18

      Apoiado, Renato.

    • poisé Postado em 06/Sep/2013 às 15:29

      com certeza, muita vergonha de dividir o mesmo planeta com essa gentalia reaça de farda;

  10. EDNA TEIXEIRA Postado em 06/Sep/2013 às 05:33

    faço das palavras da MIrna, as minhas....Mirna POSTADO EM 05/SEP/2013 ÀS 17:39 Se depender da minha pessoa as ruas ficarão vazias, se for saudosos da ditadura,depois de tantos torturados e desaparecidos,o que era nossa educação e no que virou com a ditadura,uma geração inteira sem opinião,pois colocaram mordaça em todos.Se isso voltasse eu morreria,pois tenho netos,e sobrinhos netos que não quero nem de longe que conheçam esta barbárie que é uma ditadura.

  11. Assis Rondônia Postado em 06/Sep/2013 às 08:22

    O aprendizado da história dentro da história é algo factível e não deve ser condenado. Rever sua posição no passado histórico somente pode representar uma sabedoria e uma revisão de ciência trazida pelo tempo histórico. Não como ser condenável. Condenável foi a postura desastrada,para a época.

  12. Bernardo Postado em 06/Sep/2013 às 09:18

    Revolução, uma ova!

  13. marcia Julita f.Santos Postado em 06/Sep/2013 às 09:43

    Não critico os militares por essa nota,eles foram os opressores e assumiram isso e tem seus nomes na comissão da verdade sendo investigada.Quanto a globo é uma empresa covarde que se beneficiou do momento politico mesmo sendo na contramão do povo brasileiro e agora dá uma nota que foi um equivoco! kkkkkk mas quando recebeu apóio e dinheiro para a globo não teve crise de consciencia, mesmo sabendo das atrocidades que eram cometidas,onde homens e mulheres foram torturadas e mortas pelo mesmo regime que apóiavam.Agora que o povo está nas ruas contra a globo ela quer passar um recibo de arrependida.FORA GLOBO,FORA DITADURA!.

  14. zeca sene Postado em 06/Sep/2013 às 10:35

    Golpe militar MESMO! Patrocinado e apoaido pelos Marinho! Cassemos a consseção!!!

  15. Solange Postado em 06/Sep/2013 às 13:07

    E agora Rede Globo? A festa acabou.

  16. Victoria Postado em 22/Oct/2013 às 10:37

    "censura petista"? Mas não foi na ditadura que proibiram o ensino de filosofia nas escolas pois achavam que era uma ameaça? Além da censura de mídia, eles censuraram também o aprendizado das crianças...ainda bem que o ensino de sociologia se tornou obrigatorio no ensino médio, se depender de mim assim o será no ensino fundamental. Antes que comece o mimimi, eu sou a favor de ensina a Sociologia, a Cidadania...jamais de incentivar ideologicamente as crianças.

  17. Victoria Postado em 22/Oct/2013 às 12:02

    ensinar*