Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Direita 16/Apr/2013 às 14:40
11
Comentários

Morador de rua depõe contra neonazista: "eu estava prestes a desmaiar"

Catador enforcado em imagem polêmica depõe contra neonazista, que pode pegar 24 anos de prisão. Com depoimento da vítima, suspeitos serão investigados por crime de tortura. Donato e seu comparsa ainda são suspeitos de corrupção de menor

A Polícia Civil ouviu o catador de material reciclável Luiz Célio Damásio, 42, que foi agredido pelo neonazista Antônio Donato Baudson Peret (veja aqui), 25, na praça da Savassi, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Donato foi preso anteontem pela Polícia Civil, em Americana (SP). Outros dois neonazistas foram detidos em Belo Horizonte, também no último domingo: Marcus Vinícius Garcia Cunha, 26, e João Matheus Vetter de Moura, 20. Donato chegou, ontem, a Belo Horizonte e será apresentado pela polícia na manhã de hoje.

donato neonazista preso

Donato foi preso em operação da polícia civil de Minas Gerais (Foto: Divulgação)

Segundo o catador, o crime ocorreu no dia 5 de abril, quando ele estava com seu carrinho, na rua Pernambuco com Cristovão Colombo, na Savassi. Damásio explicou que Donato começou a insultá-lo dizendo que ele estava usando drogas. Em seguida, o neonazista, que estava acompanhado de Marcus Cunha, o encurralou, e, para se defender, o próprio catador tirou uma corrente do carrinho. Donato, então, tomou o objeto dele e o usou para enforcá-lo.

Damásio contou que estava prestes a desmaiar quando uma terceira pessoa – que ele disse não lembrar quem – interviu, e Donato o soltou. Ele disse que durante a agressão, Marcos Cunha fez a foto que foi divulgada por Antonio Donato no Facebook, o que provocou o início da investigação policial. Ao lado da imagem, Donato justificou a agressão dizendo que Luiz estaria fumando crack. O catador de material reciclável disse que não usa drogas.

Com a identificação da vítima da agressão, Donato também será investigado pelo crime de lesão corporal e tortura. Essas investigações ficarão a cargo da 1ª Delegacia-Sul. Já na Delegacia de Crimes Cibernéticos, Donato e os outros dois neonazistas presos ainda são investigados pelos delitos de incitação ao crime, apologia ao nazismo e ao racismo e formação de quadrilha.

Leia também

Donato e Cunha ainda são suspeitos de corrupção de menor, por divulgarem fotos com material nazista ao lado de um garoto de 5 anos, que é filho de Cunha.

Somando as penas máximas dos crimes pelos quais Donato é investigado, ele pode ser condenado a 24 anos e seis meses de prisão. No caso de Marcus Cunha, a pena máxima pode chegar a 15 anos e seis meses, e a de Vetter, a 11 anos e seis meses de prisão.

com Jornal O Tempo

Recomendados para você

Comentários

  1. Jorjão Postado em 16/Apr/2013 às 16:12

    Poxa, mas o Donato tinha dito que era só uma brincadeira... :(

  2. Demian Cunha Postado em 16/Apr/2013 às 16:21

    O complicado são as reportagens tratando do caso darem nome completo e endereço da vítima do nazi. Se antes ele tinha sido enforcado e torturado, agora pode ser até mesmo morto pelos amigos do detento, que sabem onde procurar e por quem procurar nas ruas do bairro mineiro. Irresponsabilidade jornalística também afeta os canais sérios de comunicação.

    • Juniperos Postado em 11/Nov/2013 às 08:41

      Complicado, sem duvida, mas não novidade. Esse método de punição, é usado a muitos anos, para “continuar a punição dentro do presidio” através da incitação da violência, e da revolta por parte de outros presos. Isso daria uma “sensação” de justiça feita ao cidadão que torce por uma execução a moda antiga. Como você acha que detentos ficam sabendo do aconteceu com o novato que acaba de chegar? E o mais importante: para que? Obviamente eles sabem o que acontecerá com o novo presidiário, ao ser revelado seu passado. Nada é por acaso. O já superlotado presidio em pouco difere de deposito de humanos onde seus detentos em nada são melhorados, sem auxilio psicológico, pedagógico, profissional ou qualquer outro que realmente esteja interessado em reintegra-lo de forma honrada e salubre a sociedade. Nosso pais está simplesmente abandonado, dando direitos humanos somente a quem tem muito dinheiro.

  3. Débora Postado em 16/Apr/2013 às 16:38

    Concordo com o Demian!. Retirem o nome completo do catador, fala sério!.

  4. Betina Postado em 16/Apr/2013 às 17:58

    MEU DEUS, ISSO AÍ SE REPRODUZ??? CADEIA NELE SEM DIREITO A VISITA ÍNTIMA! Sério, esse Donato tem namorada, o Cunha tem um filho de 5 anos... como é que uma mulher vai pra cama com um imbecil desses? COMO? É a falta de cérebro afetando a todos nós, imagina essa pobre criança de só 5 anos com 15... se continuar com esse pai vira um monstro. E outra, a mãe não faz nada não? Gente inútil!

  5. Matheus Postado em 16/Apr/2013 às 18:57

    Tomara que botem ele numa cela cheia de negão.

  6. João Postado em 16/Apr/2013 às 22:42

    Independente do cara de ter havido uso ou não de drogas, agressão é agressão.

  7. Oskar Schindler Postado em 16/Apr/2013 às 23:06

    Esses grupos Neonazistas daqui do Brasil deveriam procurar ler sobre as bases do Nazismo e quais são os parâmetros para um indivíduo ser classificado como integrante da raça ariana pura. Não querendo legitimar o Nazismo, que não passa de uma ideologia totalmente incoerente baseada em argumentos fracos oriundos da mente de um cretino frustrado na vida, mas nenhum brasileiro se enquadra nessa linhagem. Concluindo: além de serem totalmente ignorantes esses imbecis se expõem ao ridículo, querendo defender uma ideologia que posta em prática colocaria fim a eles mesmos. Tem que jogar esse vagabundo na cadeia e deixar ele virar "mamãe" no meio da galera.

  8. Rafael Postado em 17/Apr/2013 às 20:02

    Concordo com o Demian. Já inclusive fui vítima dessa mídia exploradora sensacionalista. Divulgam o nome da vítima e o local do crime, bem como outras informações confidenciais, enquanto que dos delinquentes, apenas as iniciais para não denegrir a imagem da pessoa. Tá tudo ao contrário mesmo! Ainda pedi por gentileza que o repórter não divulgasse, mas não adiantou. O jornalismo hoje, ao invés de contribuir para com o bem da população, parece explorar a situação em benefício próprio. Lixo de profissão!

  9. Priscila Postado em 17/Apr/2013 às 20:37

    Acima de crença,cor,raça qualquer coisa ele é um ser humano ,um ser vivo.Nada deveria ser usado para justificar um ato desses.

  10. Isabelle Postado em 19/Apr/2013 às 11:13

    Oskar Shindler deu uma excelente resposta. E esse rapaz sequer é branco...que coisa mais maluca. Que passa na cabeça dele? Em outra época morreria na câmara de gás na primeira leva, caísse nas mãos de psicopatas como ele.