Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Justiça 30/Jan/2013 às 15:10
12
Comentários

Batalhão inteiro de policiais planejou morte de Patrícia Acioli

7º BPM inteiro planejou morte de Patrícia Acioli por vingança, diz delegado. Segundo Filipe Ettori, todos tiveram participação no caso

O delegado Filipe Ettori, que comandou o inquérito de investigação do assassinato da juíza Patrícia Acioli, deu detalhes da participação dos três policiais militares que estão sendo julgados nesta terça-feira (29) pelo crime no 3º Tribunal do Júri de Niterói (RJ). Segundo ele, todos tiveram participação direta no homicídio, junto com o PM Sérgio Costa Júnior, que já foi condenado. O delegado afirmou que o batalhão inteiro planejou o assassinato da juíza por vingança, já que ela havia ordenado a prisão de todos por crimes em São Gonçalo.

juiza patrícia acioli assassinato

Patrícia Acioli foi brutalmente assassinada. Juíza era responsável por condenar policias assassinos e corruptos. (Foto: Divulgação)

Ettori afirmou que todos os agentes do Grupo de Ações Táticas e Especiais (Gate) do 7º Batalhão de Polícia Militar (BPM), ao qual pertenciam Jeferson de Araujo Miranda, Júnior Cezar de Medeiros e Jovanis Falcão Junior, aceitaram abrir mão de suas partes em “espólios de guerra” (dinheiro de extorsão a traficantes, apreensões, propinas) para pagar os colegas que praticaram o crime. Nas casas dos três, foram encontradas provas da participação direta no assassinato.

Segundo o delegado, na casa de Medeiros foram encontrados R$ 23 mil em dinheiro e R$ 10 mil em cheques, enquanto na residência de Falcão havia cocaína, maconha, as chaves das duas motos utilizadas no crime. Na casa de Miranda, a polícia encontrou uma touca ninja e capacetes.

Leia também

“Todos os agentes do Gate respondiam a processos na vara da juíza por homicídios praticados em autos de resistência. Eles atuavam em 20 comunidades de São Gonçalo, e toda a guarnição foi presa no início de 2011 pela juíza, o que estremeceu de vez a relação dos policiais com Patrícia. O comandante do batalhão retirou sua escolta e em março eles começaram a planejar seu assassinato, que em princípio seria cometido por uma milícia, o que não foi efetivado”, explicou o delegado.

Um carro e as motos, além das armas usadas no crime, foram compradas pelos três com o dinheiro das extorsões dos traficantes. Antes de cometerem o assassinato, eles fizeram duas tentativas de matar a juíza – mas, em uma delas, Jeferson, que estava no Fórum controlando a saída de Patrícia, dormiu. Na outra, Patrícia não foi a uma reconstituição de crime em que era esperada. As motos e as armas foram apreendidas em Jacarepaguá, perto da residência de um dos acusados.

Imagens de câmeras de segurança de um estabelecimento comercial filmaram os acusados no carro do comandante do Gate, Daniel dos Santos Benitez, que também foi visto no condomínio da juíza no momento do assassinato. As antenas dos celulares deles também comprometeram os policiais, já que emitiram sinal da região no mesmo horário

O assassinato de Patrícia Acioli

Patrícia foi morta com 21 tiros em agosto de 2011, quando chegava em casa, em Piratininga, Niterói. O caso teve a primeira condenação em dezembro do ano passado, quando o cabo da polícia militar Sérgio Costa Junior, réu confesso, foi sentenciado a 21 anos de prisão. Ele admitiu ter atirado 15 vezes na juíza e obteve a delação premiada, que diminuiu em 15 anos a sua pena.

A Justiça ainda não tem data para os julgamentos dos dois principais acusados do crime: o tenente-coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira, que comandava o 7º BPM (São Gonçalo) na época do assassinato e teria sido o mandante do crime, e o tenente Daniel dos Santos Benitez, que chefiava diretamente o grupo de PMs acusados do crime.

Jornal do Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. romeu Postado em 30/Jan/2013 às 16:14

    È só exonerar o trapalhão batalhão.

    • Dinah Caixeta Postado em 01/Feb/2016 às 23:24

      Quer dizer que o cara pegou 21anos e por causa da delacao premiada reduz 15 anos isso e fazer o crime valer a pena ,5 anos e um absurdo!

  2. Lucas Postado em 30/Jan/2013 às 17:21

    Tem que exonerar é a policia militar inteira, e não apenas esse batalhão.

    • Eliane Lemos Postado em 02/Feb/2016 às 08:53

      Com certeza!

  3. Max Postado em 31/Jan/2013 às 16:13

    "(...) o cabo da polícia militar Sérgio Costa Junior, réu confesso, foi sentenciado a 21 anos de prisão. Ele admitiu ter atirado 15 vezes na juíza e obteve a delação premiada, que diminuiu em 15 anos a sua pena." Que diabos de "justiça" é essa que diminui um ano da pena por cada tiro dado por um policial desgraçado desses em uma cidadã de bem??? E se eu começasse a exterminar policiais assassinos por aí, eu teria o mesmo tratamento?

    • Ilson R. Napoleão Postado em 01/Feb/2016 às 08:08

      Que diabo de "justiça" e a justiça brasileira?

    • Daniel Postado em 01/Feb/2016 às 18:39

      essa informação não pode estar correta ou completa. O cara pega 21 anos de cadeia, delata e tem 15 anos reduzidos na pena? vai ficar preso só seis anos? se for isso mesmo, só pode ser ppiada de mau gosto, um tapa na cara da sociedade.

  4. Raoni Postado em 01/Feb/2013 às 02:55

    E aí, cadê o Datena ou o Coronel Telhada pra chamar esses aí de vagabundo agora??? A gente paga o salário desses marginais pra eles fazerem uma coisa dessas! Quem é mais vagabundo?

  5. Isaac Postado em 03/Feb/2013 às 02:42

    O RJ está absolutamente entregue ao crime organizado, não há perspectiva alguma de melhora, a polícia militar assassinando uma juíza federal, chegamos ao fundo do poço, as relações são imundas. Não sei pq mas acho que estamos nos aproximando cada vez mais da realidade mexicana, onde o crime organizado já é o legítimo dono do país.

    • Ilson R. Napoleão Postado em 01/Feb/2016 às 08:12

      Não se esqueça de incluir São Paulo. O desgovernador Xuxu (Geraldo Alckimin) nomeou como secretário da segurança pública um advogado de porta de caia chamado Alexandre de Moraes. Estamos todos f... e mal pagos.

  6. André Anlub Postado em 01/Feb/2016 às 21:36

    Ué... Bandido bom não é bandido morto? Temos um batalhão na fila de fuzilamento!

    • Consuelo Fernanda. Postado em 02/Feb/2016 às 00:48

      Gostei André Anlub!