Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Juristas 24/Oct/2012 às 19:47
5
Comentários

Joaquim Barbosa pede desculpas a Lewandowski, em gesto inédito

Pela primeira vez desde o início do julgamento do mensalão, Joaquim Barbosa se desculpa com Lewandowski, que vê “gesto de grandeza” do colega

O ministro-relator no julgamento do mensalão, Joaquim Barbosa, pediu desculpas ao revisor, Ricardo Lewandowski, após ter feito duras críticas contra o colega na sessão desta quarta-feira (24) no STF (Supremo Tribunal Federal). É a primeira vez que Barbosa pede desculpas ao colega, com o qual bateu-boca em vários momentos durante o julgamento do mensalão.

“Gostaria de externar minha preocupação quanto ao ritmo desta nossa dosimetria e dizer que estou muito preocupado e isso tem me levado a me exceder, como fiz há pouco ao rebater de maneira exacerbada o colega ministro Lewandowski, a quem peço desculpas pelo excesso”, afirmou Barbosa.

barbosa lewandowski mensalão desculpa stf

Ministros do STF Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski nos corredores do Supremo. (Divulgação)

Ao tomar a palavra, o revisor aceitou as desculpas e agradeceu o colega.

Leia também

“Inicialmente, eu queria assinalar o gesto de grandeza do eminente ministro-relator, Joaquim Barbosa ao me pedir desculpas”, disse. “Quero dizer que as aceito prontamente. E asseguro a todos que as nossas divergências não desbordam do plano estritamente jurídico”, acrescentou Lewandowski.

Nova briga

O pedido de desculpas do relator foi feito após o intervalo do julgamento. Mais cedo, Barbosa mais uma vez se desentendeu com Lewandowski e foi repreendido por outros ministros.

A discussão ocorreu durante a votação para definir o tamanho do pena do publicitário Marcos Valério. “A minha lógica não é de vossa excelência”, disse Barbosa a Lewandowski, que respondeu: “a minha a lógica é a da Constituição.”

Em seguida, Barbosa afirmou: “não barateio o crime de corrupção”. O ministro Marco Aurélio interveio e disse ao relator que “num colegiado o dissenso é salutar.”

“Não é salutar. A tática do ministro Lewandowski é plantar nesse momento o que ele vai colher daqui a pouco”, disse o relator.

Pouco depois, Barbosa voltou a se irritar, quando Lewandowski disse que ele estaria “sofismando”, após o relator dizer que a pena para Valério era muito branda. “Vossa excelencia [Lewandowski] é que advoga para ele”, questionou Barbosa.

“Relator, aqui todo mundo é juiz, ninguém advoga a ninguém”, interveio o presidente da Corte, Ayres Britto.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Vinícius Postado em 25/Oct/2012 às 16:01

    Da a entender q o pragmatismo político defende o PT no caso do mensalão, como na notícia dos intelectuais q assinaram um abaixo assinado para absorver José Dirceu. A questão é q existe sim uma quadrilha grande e bem articulada no PT q desviou dinheiro público para a compra de apoio parlamentar e tmb envolvida com lavagem de dinheiro, Marcos Valério, Jose Genoíno, Delúbio e principalmente Dirceu, formavam o núcleo da quadrilha. Eu realmente qro q tds eles na cadeia, junto com os outros acusados, não é porque eu sou de esquerda q vou passar a mão na cabeça de corruptos só pq são do PT, corrupção é corrupção independente do partido. Sei q não é só no PT q existe corrupção, sei do mensalão mineiro q a mídia abafa e gostei qnd a presidente Dilma pediu a investigação do STF recentemente sobre o mensalão mineiro, também sei sobre a privataria tucana e tmb existe corrupção no sistema judiciário, no tribunal de contas da união, no ministério público, na iniciativa privada e etc. Ser de esquerda não significa apoia uma quadrilha corrupta só pq ela é de esquerda (e convenhamos, o PT já perdeu mto de seu vermelho desde q chegou ao poder) do msm jeito q é absurdo falar q só o PT é corrupto e q só no PT existe quadrilhas.

    • Moderação Postado em 25/Oct/2012 às 16:26

      Olá Vinícius, Este site defende punição, nos termos da lei, a todos que cometeram ilicitudes, sobretudo com o dinheiro público, independentemente da sigla partidária. A cobertura do julgamento do mensalão, neste site, teve espaço para considerações e reflexões de diversas vertentes, o que notadamente não ocorreu na maioria dos grandes veículos de comunicação. Abraços.

  2. Hilário Postado em 30/Oct/2012 às 00:40

    Mensalão sempre exisitiu, antes mesmo do PT no poder, só que antes não tinha nome, ninguém lá dentro falava, até porque isso não se pode ser feito por apenas uma parte, são indivíduos de um lado e de outro, de vários partidos, mais empresários, lobistas, etc e etc. Foram pêgos, isso é bom para o povo realmente saber como se fazem as leis e como se aprovam projetos. Nada sai de graça, nem todos votam a favor de um projeto porque ele vai ser bom para o povo ou o país, mas, sim, por interesses partidários e (até financeiros pra encher os próprios bolsos). Tem de cuidar pra não votar em laranja nem em candidatos sem causa social de verdade e sem interesses que se igualem aos interesses da nação. Mas aos poucos a gente aprende e o Brasil começa a parar de passar despercebidos por fatos como estes.

  3. Hilário Postado em 30/Oct/2012 às 00:54

    Um dia num bar duma cidade pequena, ouvi os vereadores falando sobre aprovação de projetos. Um dizendo que se não aprovassem tal, não votariam no outro. Isso não é troca de voto? Não é um tipo de mensalão? Não estão nem aí para o que é realmente interessante pra populaçã, só querem aprovar projetos pra servir de pedestal pra próxima eleição. Isso é baixo demais, deturpa o sentido das coisass e atrasa o desenvolvimento da sociedade. O Brasil tem problemas e dificuldades em serviços básicos porque para os políticos é mais vantajoso (pra eles)obras e idéias mirabolantes ou ilusórias porque aparece mais e dá mais voto do que outras realmente mais relevantes e interessantes, mas que ficam mais escondidas. É melhor fazer algo que dê resultado imediato ao invés de pensar em benefício a longo prazo. Mas nada disso é novidade.