Redação Pragmatismo
Notícias 07/Nov/2019 às 21:31 COMENTÁRIOS
Notícias

Glenn: "Nunca havia sido agredido na minha vida. Porque adultos não se comportam assim"

Publicado em 07 Nov, 2019 às 21h31

"Nunca aconteceu algo assim na minha carreira, como advogado e jornalista, e estou envolvido em temas muito polêmicos. Nunca fui agredido na minha vida, porque adultos não se comportam assim"

glenn greenwald
Glenn Greenwald (AP Photo / Leo Correa)

“Augusto Nunes é um indigno. Covarde, sem escrúpulos. É do tamanho da reação lamentável que teve hoje na Jovem Pan. Esse canalha usou nossos filhos para atacar o trabalho do meu marido. É tão covarde que não consegue escutar a verdade cara a cara e partiu para agressão física. Se os veículos em que ele trabalha forem sérios, vão demitir esse jornalista sem ética”.

A frase acima foi dita nesta quinta-feira (7) pelo deputado David Miranda, marido de Glenn Greenwald. Diversas outras figuras públicas também prestaram solidariedade a Glenn.

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) chamou Augusto de bandido e verme. A presidente nacional do PT, deputada Gleisi ​Hoffmann (PR), disse que o americano foi “atacado por um jornalista que não faz jornalismo” e que “a violência é a arma dos covardes”.

Parlamentares do PSL, partido de Bolsonaro, manifestaram apoio ao comentarista da Jovem Pan. Filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) escreveu em uma rede social que “reagir a canalhices que partem de um criminoso cínico e folgado é questão de honra”. Eduardo Bolsonaro também celebrou o soco.

O perfil de Olavo de Carvalho, escritor considerado o guru do bolsonarismo, postou: “O Augusto Nunes descendo a porrada no Verdevaldo foi a coisa mais linda da TV brasileira ever”.

Sem fazer referência explícita ao caso, Filipe Martins, assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, publicou a frase “This is Brazil!” (isto é Brasil) seguida de ilustrações da bandeira do Brasil e de um punho cerrado, semelhante a um soco.

Glenn Greenwald

Glenn Greenwald disse considerar que o ponto mais grave do episódio é “o uso de força física” no debate político. “É a coisa mais grave e perigosa para uma democracia. É justificável Augusto Nunes me agredir? Não, assim como não é para qualquer um atacar fisicamente na rua qualquer pessoa que tenha uma opinião diferente”, afirmou.

O jornalista criticou ainda o fato de “integrantes do partido do presidente [Jair] Bolsonaro estarem aplaudindo, apoiando o uso da violência no debate político, o que é uma ameaça grave para a democracia. Comportar-se como fascista é algo totalmente inaceitável”.

“Para ser totalmente honesto, ele [Augusto] não me machucou, foi [um ataque] fraco. Essa é a verdade. Nunca aconteceu algo assim na minha carreira, como advogado e jornalista, e estou envolvido em temas muito polêmicos. Nunca fui agredido na minha vida, porque adultos não se comportam assim”, completou.

Glenn relatou também que ouviu de representantes da Jovem Pan a promessa de que a rádio pediria desculpas publicamente e se posicionaria contra a atitude do comentarista.

O jornalista refutou ainda a afirmação de Augusto de que sua fala sobre os filhos do casal tinha conteúdo irônico. “Qualquer pessoa pode assistir àquele vídeo, e não tinha nada leve. Eles estavam discutindo se eu vou ser preso, se eu paguei a hackers. Não tinha nada leve, nada irônico.”

Americano radicado no Rio de Janeiro, Glenn Greenwald conquistou em 2014 o prêmio Pulitzer, na categoria serviço público, pelas reportagens sobre o vazamento dos documentos do ex-agente da Agência Nacional de Segurança, Edward Snowden.

O grupo Jovem Pan, em nota, disse lamentar o ocorrido e repudiar “com veemência” ofensas e agressões. A emissora afirmou defender o pluralismo de ideias e a liberdade de expressão, recebendo “convidados de diferentes campos ideológicos e com opiniões dissonantes”.

Recomendações

Comentários