Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 30/Out/2019 às 17:36 COMENTÁRIOS
Mulheres violadas

Advogado mata a companheira em condomínio de luxo

Publicado em 30 Out, 2019 às 17h36

Feminicídio: Advogado de 31 anos mata a companheira em condomínio de luxo. O homem, que é atirador, disparou quatro vezes contra a mulher e depois tentou tirar a própria vida

ana mahas feminicídio
Ana Mahas foi assassinada pelo namorado, Felipe Moretti. A polícia não divulgou a foto do homem (reprodução)

Ana Mahas Zaher, de 38 anos, é mais uma vítima de feminicídio no Brasil. Ela foi executada pelo próprio namorado, o advogado Felipe Faccio Moretti, de 31 anos. O crime aconteceu na noite desta terça-feira (29) em um condomínio de luxo em Campinas (SP).

Felipe confessou o crime. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), além da arma usada no crime, duas facas foram encontradas no carro dele. A mulher foi atingida por quatro disparos e morreu na residência do namorado.

Depois de matar a namorada, Felipe tentou o suicídio com um tiro no peito. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e sobreviveu. O assassinato foi registrado no plantão da 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade como feminicídio.

O assassino relatou à polícia que teve uma discussão com a companheira após retornarem de um jantar e, em seguida, atirou contra ela. Mais detalhes do depoimento do homem não foram divulgados.

A família de Felipe Moretti foi quem acionou a PM, e a mãe do advogado teria convencido ele a se entregar — o que ocorreu na frente do condomínio. Familiares disseram que o rapaz é atirador.

O advogado foi preso em flagrante e internado no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp. Ele teve alta na manhã desta quarta-feira (30) e foi para a delegacia.

A defesa confirmou que a prisão de Moretti foi convertida para preventiva e que ele foi encaminhado a um Centro de Detenção Provisória (CDP).

O corpo de Ana Zaher foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) e às 15h deixou a cidade rumo ao município de São Lourenço (MG). Nas redes sociais, amigos postaram depoimentos de pesar pela morte de Ana, que trabalhava como esteticista.

Feminicídio no Brasil

No Brasil, 13 mulheres são mortas por dia. No total, 4,8 em cada 100 mil mulheres morrem por violência doméstica – essa taxa coloca o Brasil em quinto lugar no ranking de violência doméstica criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A cada 1 hora e meia, uma mulher morre no Brasil por causas violentas – e, nesse cenário, o marido ou namorado é responsável por mais de 80% dos casos. Os dados são de pesquisas do Ipea, Mapa da Violência e do SESC.

A denúncia de violência doméstica pode ser feita em qualquer delegacia, com o registro de um boletim de ocorrência, ou pela Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180), serviço da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Vale lembrar: a denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país.

Para proteger e ajudar as mulheres a entenderem quais são seus direitos, em 2014, a Secretaria lançou um aplicativo para celular (Clique 180) que traz diversas informações importantes, como os tópicos da Lei Maria da Penha.

O Código Penal estipula a pena de reclusão de 12 a 30 anos para o homicídio contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio).

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários