Redação Pragmatismo
Direita 10/Sep/2019 às 14:08 COMENTÁRIOS

Na orla do Leblon, Paulo Guedes dá piti ao ser criticado e faz ameaça

Infantis militarizados: episódios recentes envolvendo membros do alto escalão do governo federal revelam que o bolsonarismo é muito mais perigoso do que a direita convencional

Paulo Guedes Leblon
Paulo Guedes

Moisés Mendes*, em seu blog

Paulo Guedes fez uma ameaça a um grupo que o abordou no Leblon, no domingo. As pessoas o reconheceram e passaram a questionar o machão que atacou a mulher de Emmanuel Macron. Essa foi a resposta dele:

“Na terceira abordagem como essa, eu largo tudo e vou embora. Aí vocês vão ver o que é bom, como é que fica.”

Na terceira. Guedes poderia ser abordado duas vezes pelos que condenam sua baixeza. Mas não três. Na terceira, ele embrabece e abandona tudo.

O ministro da Economia tem reação de estudante. Imagine um ministro da Economia de qualquer país ameaçando ir embora porque as pessoas na rua questionaram seu machismo.

Guedes, Damares, o chanceler terraplanista, o ministro do Meio Ambiente que odeia ambiente. Todos eles são infantis. O ministro da Educação faz força para parecer adulto, mas é o mais infantil de todos.

Dallagnol, o procurador sem escrúpulos, tem atitudes infantis, como escrever mensagens para ele mesmo. Sergio Moro também é infantil. O ex-juiz é mais do que simplório, é um infantilizado.

O tom de voz de Sergio Moro é infantil. Não a potência da voz, não a fala fina, mas o tom mesmo. Moro fala como quem se defende, como se estivesse sempre acossado. É um crianção inseguro.

A direita brasileira conseguiu esse feito. Nunca em lugar algum um grupo se apropriou do poder para infantilizá-lo. Bolsonaro é infantil. Os filhos dele são crianças armadas que ameaçam pegar bandidos, mas nunca pegaram bandido algum.

Sim, todos eles são sustentados pela retórica e por atitudes fascistas, como toda a extrema direita brasileira. Mas a extrema direita mundial não é tão bobona, tão criançona.

O futuro embaixador que tira foto ao lado do pai no hospital, mostrando uma arma na cintura, é mais do que o acinte do poder miliciano. É a imagem da milícia infantilizada.

E o outro filho pega carona no Rolls-Royce no 7 de Setembro, certo de que a provocação compensa o mico. Aquilo é a criancice debochada de um sujeito cruel.

O bolsonarismo não consegue ser adulto. Quando Guedes ameaça ir embora, está sendo mais do que um chantagista amador. Guedes acha que as pessoas vão dizer: não vá, por favor. Ninguém diz nada. Nem o véio da Havan.

Macron, Piñeda, Angela Merkel, Putin, os líderes mundiais já se deram conta de que a extrema direita brasileira tem algo errado. Tem ódio, tem ressentimento, vingança, insegurança, violência, mas com esse infantilismo bolsonarista.

A extrema direita governa (incluindo a Lava-Jato) com ações e falas regressivas. O fascismo à brasileira é ainda mais perigoso porque é infantil e fortemente militarizado.

*Moisés Mendes é jornalista e escritor

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários