Redação Pragmatismo
Direita 16/Set/2019 às 21:55 COMENTÁRIOS
Direita

Felipe Neto chora após divulgação de apoio de Paulo Coelho

Publicado em 16 Set, 2019 às 21h55

Felipe Neto chora após divulgação de solidariedade do escritor Paulo Coelho. Jovem vem recebendo ameaças de morte por parte de bolsonaristas

paulo coelho felipe neto
Paulo Coelho e Felipe Neto

“Ele poderia ser nosso filho. Nosso Felipe. Nosso Neto. Está contra a censura, a intolerância e a barbárie. Está do lado da diversidade, da liberdade de expressão e da literatura. Está do nosso lado. E nós estamos com ele”.

As palavras acima são de Paulo Coelho, o escritor brasileiro que mais vende livros no mundo, e foram publicadas nesta segunda-feira (16) no Twitter acompanhadas de uma imagem.

“Não brinca com milicianos. Está fazendo o certo, mas não se exponha. Qualquer coisa pode vir até aqui – Genebra Suíça é super vigiada por causa dos muitos corpos diplomáticos. Se precisar, me acione por DM”, continuou o escritor, convidando Felipe para se refugir na capital da Suíça.

Ao compartilhar a mensagem solidária de Paulo Coelho, o jovem admitiu que se emocionou: “Chorei e é verdade”.

Mais cedo, Felipe Neto relatou estar sofrendo ameaças desde que se opôs ao prefeito do Rio, Marcelo Crivella, distribuindo 14 mil livros com a temática LGBT após o prefeito mandar recolher exemplares de uma revista em quadrinhos que mostrava um beijo entre dois homens. A mãe do youtuber já saiu do Brasil.

Desde então, o assunto virou um dos temas mais comentados do Twitter e uma rede de solidariedade foi criada em apoio a Felipe Neto, com milhares de manifestações.

“Quem são eles que ameaçam Felipe Neto? Milicianos virtuais que operam na covardia da dúvida. Toda ameaça é ameaça. É precisa ser levada a sério pela polícia e pelo Estado. Uma democracia não pode tolerar uma regime permanente de intimidação por covardes cidadãos de bem”, publicou em suas redes a professora da Universidade de Brasília (UnB) e pesquisadora Débora Diniz, que deixou o Brasil após sofrer fortes ameaças pela sua atuação em defesa da legalização do aborto no Supremo Tribunal Federal (STF).

Guilherme Boulos, líder do MTST e candidato à presidência pelo PSOL em 2018, também lamentou o episódio e cobrou um atuação do Ministério da Justiça, comandado por Sérgio Moro. “Por que Moro não atua contra a rede bolsonarista de ameaças criminosas no mesmo ritmo que encontrou o ‘hacker de Araraquara’? Todo apoio ao Felipe Neto”, disse.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários