Redação Pragmatismo
Notícias 17/Set/2019 às 16:25 COMENTÁRIOS
Notícias

Ciro Gomes aceita pedido de desculpas de Alexandre Frota

Publicado em 17 Set, 2019 às 16h25

Alexandre Frota pede desculpas a Ciro Gomes por tê-lo ofendido no passado e pedetista reage: "gesto muito nobre". Em nova entrevista, ex-presidenciável volta a criticar o PT e afirma que Bolsonaro não termina o governo

ciro gomes alexandre frota
(Imagem: Ricardo Moraes, Reuters)

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) utilizou sua conta no Twitter para pedir desculpas a Ciro Gomes (PDT), candidato à Presidência em 2018.

“Desculpe as agressões verbalizadas por mim a vc no passado (sic)”, tuitou Frota. Ele afirmou que o candidato pelo PDT “tinha razão” sobre o presidente Jair Bolsonaro.

Apoiador de primeira hora de Bolsonaro, Frota passou a fazer críticas ao governo e aos apoiadores do presidente nas redes sociais, o que o levou a ser expulso do PSL, partido de Bolsonaro.

Com a saída, ele foi convidado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), a integrar o PSDB e se filiou ao partido, cuja reformulação liderada pelo tucano levou o jargão “novo PSDB” a ser usado para se referir às mudanças na sigla.

Ciro afirmou que não iria atribuir “relevância política a isso”, mas que vê um gesto “muito nobre” por parte do deputado. “Aceito as desculpas [de Frota]”, afirmou.

Em recente entrevista ao Estadão, Ciro admite que decidiu radicalizar o discurso de defesa da democracia e romper com a “frente de esquerda”.

“Unidade é o cacete. Agora ninguém mais vai enganar ninguém porque o que eu tinha para dar de engolir, de ter que fazer silêncio em nome da unidade, eles acabaram de liquidar”, afirmou Ciro.

PT

Ciro Gomes também tem reforçado suas críticas ao PT. “O PT são vários PTs. E é importante que você entenda essa premissa para o raciocínio que vou elaborar. Esta burocracia do PT e a estratégia que essa burocracia está fazendo em nome da direção imperial do Lula é certeza da derrota do campo progressista no Brasil agora e pelas próximas três ou quatro eleições”, declarou.

De acordo com Ciro, o PT é um fenômeno político “doentio”, responsável pela eleição de Jair Bolsonaro. “O Bolsonaro nunca foi o candidato da direita brasileira. O Bolsonaro foi engolido pela direita brasileira porque era o cara que foi identificado pelo nosso sofrido povo como o mais tosco intérprete do antipetismo que era a força dominante.

Bolsonaro

Na mesma entrevista, Ciro diz acreditar que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não chega até o fim do seu mandato. “Acho que ele não termina o governo. Isso é um mero palpite. Espero que não seja pelo suicídio. Meu palpite, é um mero palpite, é que vai ser por renúncia”, afirmou Ciro.

Para o candidato derrotado ao Planalto em 2018, a chance de um novo impeachment é reduzida. “A probabilidade de um impeachment hoje é pequena. Mas as energias são tão negativas e tão rápidas que não vejo como Bolsonaro termine o governo.”

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários