Redação Pragmatismo
Política Externa 02/Sep/2019 às 22:36 COMENTÁRIOS

Assessor de Trump relatou cena vergonhosa de Eduardo Bolsonaro nos EUA

Autoridade do governo norte-americano que esteve reunida com Eduardo Bolsonaro em sua visita aos EUA em novembro do ano passado relatou momento constrangedor protagonizado pelo homem que pretende ser embaixador do Brasil em Washington

eduardo bolsonaro inglês vexame

A correspondente da TV Globo em Washington (EUA), Raquel Krähenbühl, noticiou uma cena vergonhosa protagonizada por Eduardo Bolsonaro — filho do presidente Jair Bolsonaro que é cotado para ser o embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

Uma autoridade do governo norte-americano, que esteve reunido com Eduardo em sua visita em Washington em novembro do ano passado, disse para a jornalista brasileira que o inglês do deputado é sofrível.

“Autoridade dos EUA — que participou de reunião com Eduardo em novembro do ano passado em Washington — disse que sentiram dificuldade de prosseguir conversa em inglês e ofereceram se o deputado preferia seguir em espanhol. ‘Também não funcionou, foi em portunhol'”, publicou a jornalista.

Na última sexta-feira (30), mais um sinal da deficiência do inglês de Eduardo Bolsonaro foi visto durante visita à Casa Branca. Ao ser questionado pela imprensa estrangeira em inglês, o filho de Jair Bolsonaro pareceu atordoado:

Qual foi a pergunta?, reagiu Eduardo. O deputado tentou sair pela tangente: “Responde você, Ernesto”, referindo-se ao ministro Ernesto Araújo.

Indagado sobre o motivo de ter se recusado a falar com os jornalistas em inglês, Eduardo Bolsonaro fez piada: “prefiro falar com os brasileiros, vocês são muito mais bonitos.”

Na verdade, ficaria exposto mundialmente que o possível futuro embaixador do Brasil em Washington não sabe falar inglês em nível diplomático.

Se a fluência em inglês é um dos pré-requisitos para ser embaixador dos Estados Unidos, Eduardo Bolsonaro parece não estar pronto para o cargo. Não é sequer necessário uma confidência de um funcionário do alto escalão do governo Trump. Basta assistir ao vídeo abaixo:

Almoço

A viagem relâmpago de Eduardo Bolsonaro aos EUA para se encontrar com Donald Trump foi cercada de polêmicas. O filho de Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores fizeram diversos passeios na capital norte-americana e almoçaram em uma sala reservada de um dos restaurantes à beira do canal que leva ao rio Potomac.

VEJA TAMBÉM: A reação de Caetano Veloso ao inglês de Eduardo Bolsonaro

Na região portuária revitalizada de Wharf, Eduardo pagou US$ 1.000 (mais de R$ 4.000 na cotação atual) em um almoço no Del Mar, famoso restaurante do chef italiano Fabio Trabocchi.

No final, para escapar da imprensa, Eduardo Bolsonaro saiu do ‘Del Mar’ pela porta da cozinha, nos fundos do restaurante.

Cinco jornalistas aguardavam o deputado brasileiro do lado de fora. Um dos funcionários relatou à imprensa que Eduardo afirmou que era “filho do presidente do Brasil” para justificar o uso da saída pela cozinha.

Das 33 horas em que passou em Washington, a comitiva de Eduardo ficou apenas duas na Casa Branca, em conversas com integrantes do Conselho de Segurança Nacional dos EUA e à espera do encontro com Trump.

Quando a imprensa conseguiu questionar Eduardo a respeito do almoço e dos passeios, o deputado ignorou as perguntas. Mais tarde, ele foi ao Twitter escrever que a imprensa o estava “seguindo” a caminho do almoço.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários