Redação Pragmatismo
Corrupção 01/Aug/2019 às 15:43 COMENTÁRIOS

Narrador da Globo se empolga com Queiroz em jogo do Flamengo

Em transmissão da TV Globo, narrador se empolga com Queiroz e frases rendem piadas e memes na internet

queiroz jogo do flamengo
(Imagem: Alexandre Vidal)

O nome Queiroz tornou-se um dos assuntos mais comentados na internet brasileira após a partida entre Flamengo e Emelec (EQU) na noite desta quarta-feira (31) no Maracanã (RJ).

O jogo, vencido pela equipe carioca por dois a zero, foi transmitido pela TV Globo e teve narração de Luís Roberto. Os telespectadores perceberam uma empolgação do narrador brasileiro com o jogador Queiroz, do time equatoriano.

Foi inevitável a associação com Fabrício Queiroz, ex-policial que é ex-motorista e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente.

Queiroz, que está desaparecido há meses, é investigado por ser o pivô de um esquema de lavagem de dinheiro, quando o filho de Jair Bolsonaro era deputado estadual no Rio.

A atuação do Queiroz do Equador no partida de futebol rendeu uma série de memes e piadas por conta das frases do narrador Luis Roberto.

“Esse Queiroz é danado!”, “Queiroz não pode ter liberdade”, “Queiroz finalmente apareceu!”, e “Chega o Queiroz no carrinho, disso ele entende muito!”, foram algumas das frases ditas pelo funcionário da Globo durante a transmissão.

A boa atuação de Queiroz ocorreu “apenas” nos 90 minutos. Na decisão por pênaltis, ele perdeu a cobrança decisiva que decretou a classificação do Flamengo para a próxima fase.

Um internauta chegou a afirmar Queiroz iria cobrar esse pênalti em 10 depósitos de R$ 2 mil. A frase faz relação com os 48 depósitos, de R$ 2 mil cada um, na conta bancária de Flávio Bolsonaro.

Fabrício Queiroz

Sumido desde que suas movimentações financeiras viraram um problema para a família Bolsonaro, no final do ano passado, Fabrício Queiroz tem muito o que explicar.

Em sua ficha corrida há um homicídio ocorrido em 2003 em que ele está envolvido ao lado de Adriano Magalhães da Nóbrega, o temido chefe da milícia de Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio, foragido desde janeiro.

Em meio aos mais de 20 boletins de ocorrência e à dezena de inquéritos em que Queiroz aparece, há pelo menos dois supostos autos de resistência com sua participação.

Os laços de amizade entre Queiroz e o líder miliciano permaneceram intensos durante longos anos. Queiroz recrutou a mãe e a esposa do miliciano, quando ele já era notório no submundo do crime, para trabalharem com ele no gabinete de Flávio Bolsonaro, quando este ainda era deputado estadual no Rio de Janeiro. Ambas são suspeitas de fazerem parte do esquema comandado por Queiroz de coleta e repasse de dinheiro público dentro do gabinete do “01”.

A filha de Queiroz chegou a trabalhar para o presidente Jair Bolsonaro, mas não aparecia para dar expediente. Relembre AQUI.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários