Redação Pragmatismo
Justiça 11/Jun/2019 às 09:13 COMENTÁRIOS

Jair Bolsonaro acerta ao não defender Sergio Moro

É preciso reconhecer que Jair Bolsonaro adota a estratégia correta ao não defender Sergio Moro abertamente e declarar uma espécie de apoio envergonhado. O presidente sabe que o ministro tem um projeto de poder próprio. E sabe que o que virá nas próximas reportagens do The Intercept pode ser ainda pior

Sergio Moro e Jair Bolsonaro
Moro e Bolsonaro (Imagem: Marcos Corrêa/PR)

Kiko Nogueira, DCM

Moro está a caminho de voltar a ser o personagem menor que sempre foi, um cunhado de Nelson Rodrigues. Vai sendo fritado por Jair Bolsonaro, que não se manifestou publicamente sobre o escândalo da Lava Jato e declarou um apoio envergonhado.

Bolsonaro sabe que o ministro tem um projeto de poder próprio. Cauteloso, não sabe o que virá por aí nos vazamentos do Intercept envolvendo a nomeação do ex-juiz para o governo.

Mas é a mídia que construiu Moro que o está rifando de maneira inclemente. A Globo ensaia uma defesa da dupla Moro e Dallagnol, mas os fatos teimam em contradizê-la. O apoio vai até a página 2.

O Estadão, em editorial, afirma que “não foram poucas as vezes em que as suspeitas levantadas pela Lava Jato custaram o cargo a ministros de Estado, incapazes de se explicar”.

Mais: “Se Sergio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é, sua permanência no governo vai se tornar insustentável”.

A Folha é mais dura: “Mensagens oriundas de ato ilícito mostram comportamento às raias da promiscuidade”.

“Não é forçando limites da lei que se debela a corrupção. Quando o devido processo não é estritamente seguido, só a delinquência vence”, crava.

Cedo ou tarde, Sergio Moro teria de acordar para o fato de que sua glória era passageira e que ele, assim que deixasse de ser útil, seria descartado por aqueles que o inventaram.

Vide Joaquim Barbosa. Onde está “o menino pobre que mudou o Brasil”?

Aposentado, deu uma ou outra cacetada no PSDB, criticou o impeachment de Dilma, ensaiou uma candidatura a presidente e então desapareceu na noite. O sistema que insuflou seu ego e lhe deu asas fez o mesmo com Moro.

O sujeito acreditou no papel que o establishment lhe deu e tentou voar até o sol. As asas do ícaro maringaense queimaram. Se fosse inteligente, mais do que ambicioso, teria olhado para a foto de JB e enxergado a si mesmo.

Inteligência, porém, não é o forte do Conje. Esperteza, sim. Quando se viu entregue a si mesmo, virou um ministro constrangedor. Agora ele precisa vazar — para que entre outro em seu lugar.

CLIQUE E VEJA A ÍNTEGRA DO QUE FOI REVELADO ATÉ AGORA PELO THE INTERCEPT:
Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Anderson_W-Flip Postado em 05/Jul/2019 às 16:21

    Absolutamente nada há de ilegal ou sequer imoral. Absolutamente nada pode ser alegado em favor de qualquer criminoso apanhado pela Lava Jato, sobretudo o criminoso maior. Nem mesmo uma interferência indevida eu enxergo ali. Qualquer operador do direito sabe que este tipo de contato é perfeitamente comum e normal.

  2. Rodrigo Postado em 05/Jul/2019 às 16:21

    Mas o Mourão disse que Bolsonaro manteve contato com o Moro na época das eleições, então as outras partes podem mostrar o Bolsonaro envolvido com tudo isso.

  3. Renato Barbosa Postado em 05/Jul/2019 às 16:21

    Canclomo, a todos a meter o pau nesse safado do moro e do powerpoint!

  4. chichano goncalvez Postado em 05/Jul/2019 às 16:21

    Para o bem dos juizes brasileiros, espero que enfiem o morinho lá nos confins, caso contrario teremos mais uma vez a impunidade neste Brazil; Hasta quando compañeros ?