Redação Pragmatismo
Barbárie 09/May/2019 às 15:19 COMENTÁRIOS

Pai prende a filha de 3 anos na cadeirinha e coloca fogo no veículo

Pai prende filha de 3 anos na cadeirinha e ateia fogo no veículo. Martin Pereira estava em uma disputa judicial com a mãe pela guarda da menina. Ele telefonou para a ex-esposa antes de cometer o crime

Martin Pereira e a filha Zoey
Imagem: Martin Pereira e a filha Zoey

A pequena Zoey Pereira, de apenas 3 anos, foi assassinada de maneira brutal na cidade de Nova York na noite do último domingo (5). A menina foi queimada viva pelo próprio pai, Martin Pereira. As informações são do The Washington Post.

O homem prendeu Zoey na cadeirinha do automóvel, jogou gasolina e colocou um vasilhame com o líquido inflamável no banco de trás. O fogo também atingiu Martin, que saiu correndo em chamas do carro.

Os bombeiros foram acionados e ainda retiraram Zoey do local com vida, mas ela apresentava queimaduras de terceiro grau em praticamente todo o corpo e morreu no hospital.

Martin foi encontrado em um parque só de cuecas tentando encontrar água para diminuir a dor. Em seguida, também foi encaminhado ao hospital.

O jornal NY Post noticiou que o estado de saúde de Martin é grave. Ele está sob custódia da polícia enquanto se recupera. “Ele matou um bebê. Queimou ela viva. Isso não é um ser humano, é um animal. Covarde”, disse uma tia da menina.

Telefonema

O NY Post também informou que Martin ligou para a ex-esposa, Cherone Coleman, e avisou que iria assassinar a filha. “Junte seus irmãos e chame a polícia. Vou me matar e matar a Zoey”, disse Martin por telefone.

A família ligou para a polícia enquanto Cherone tentava conversar com o ex-marido. Neste momento, Martin teria se irritado. “Eu vou fazer você ficar louca. Nunca mais verá sua filha de novo”, gritou o homem no telefone.

Cherone se desesperou e tentou acalmá-lo. Logo depois, ela recebeu a notícia de um carro pegando fogo. “Após ver minha filha, eu sabia que não teria chances de sobreviver. Sabia que estava morta”, afirmou a mãe.

Houve muita comoção e revolta durante o funeral de Zoey Pereira, que ocorreu com o caixão fechado. “Não quero que ninguém veja o estado em que a minha filha ficou”, lamenta Cherone.

Zoey Pereira era filha única e os pais brigavam judicialmente por sua guarda desde 2018. “Com sorte ele morre. Eu espero que ele morra”, disse a tia de Zoey ao referir-se a Martin.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Anderson Gonçalves Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    Eu daria a minha vida pela minha filha!!! Espero que exista justiça divina, pois a nossa nunca será capaz de punir este "coiso".

  2. Jorge Lula Viana Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    O amor extremado se torna egoisticamente alucinado a ponto de liberar a loucura. Todo criminoso passional ama sua vítima tão exacerbadamente que, dominado por sua demência, prefere vê-la antes morta do que desprovida de seu afeto, porém, por não suportar a própria opção da qual se julga a um só tempo vítima e prisioneiro, intenta contra sua própria vida para solucionar o conflito, ao mesmo tempo em que se pune pelo ato de barbárie do qual, inescapavelmente, não se permite perdoar ou evitar dentro de uma lógica insana autofágica retroalimentada.

  3. chichano goncalvez Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    Acho que não foi encontrada a palavra para definir um crime desses.