Redação Pragmatismo
Educação 08/May/2019 às 16:30 COMENTÁRIOS

Alemanha anuncia aumento de recursos para universidades e pesquisa

Alemanha adota caminho contrário ao do Brasil e anuncia 160 bilhões de euros para universidades e pesquisa: "Estamos garantindo a prosperidade de nosso país", diz ministra

Alemanha aumento recursos universidades pesquisa
Universidade Humboldt de Berlim (Imagem: Urlaubsguru)

Universidades e centros de pesquisas da Alemanha terão mais dinheiro a partir de 2021, anunciou a ministra alemã da Educação, Anja Karliczek.

Na sexta-feira (03/05), ela anunciou que o governo federal e os estados investirão 160 bilhões de euros no ensino superior e na pesquisa científica entre 2021 e 2030. Em média, esse valor representa 2 bilhões de euros a mais por ano, na comparação com 2019.

Com isso estaremos garantindo a prosperidade de nosso país no longo prazo“, afirmou Karliczek em Berlim, ao encerrar meses de debates entre o governo federal e os estados para definir o plano de investimentos no ensino superior da próxima década.

O valor se divide em 41,5 bilhões de euros para a melhoria do ensino superior, em especial por meio de contratos de trabalho por prazo indeterminado para professores, e 120 bilhões de euros para centros de pesquisa não universitários, como o Instituto Max Planck e a Associação Fraunhofer.

Em 2021, o governo federal e os estados vão transferir 3,8 bilhões de euros às universidade e demais escolas de ensino superior, divididos em partes iguais (metade do governo, metade dos estados). Em 2024, o valor chegará a 4,1 bilhões.

A distribuição dos recursos leva em conta o número de calouros e o de egressos e principalmente se a maior parte dos estudantes conclui os seus cursos no prazo previsto.

As universidades ainda poderão pleitear recursos para projetos especiais – este orçamento, porém, é limitado a 150 milhões de euros.

A coordenadora dos debates, Eva Quante-Brandt, que representou a cidade-Estado de Bremen, se declarou satisfeita com o resultado e disse que os recursos vão permitir aos estados manter a oferta de vagas e ainda melhorar a qualidade do ensino superior.

O presidente da associação de reitores, Peter-André Alt, se mostrou aliviado com o acordo e disse que todos os envolvidos assumiram sua responsabilidade.

O Partido Verde, de oposição, elogiou o compromisso e disse que um fracasso das negociações entre o governo e os estados teria posto em risco a pesquisa e a inovação na Alemanha e a imagem internacional do país no ensino superior.

Leia também:
Greve nas Universidades Federais é tudo o que o Bolsonaro quer
Ranking mostra melhora em universidades punidas pelo ministro da Educação
Pesquisador alemão diz que “não se faz sociedade sem Ciências Humanas”
Valor de prova custará mil vezes a mais que o anunciado pelo ministro da Educação

Deutsche Welle

Acompanhe Pragmatismo Político no InstagramTwitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. A.Wergutz.Flip Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    Mas essa verba não é pra agradar a pelegama infiltrada e fomentar ativismo...é pra pesquisa séria...

  2. chichano goncalvez Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    O pais vai andar de marcha ré, é só ver como cresceram TODOS os paises do mundo, investindo maciçamente na educação, desde a creche até a faculdade, etc.Esperar o que , de um chefe de quadrilha, ele veio para desmontar tudo que de bom foi feito antes, igual os milicos ladrões de 64, que inundaram o pais de favelas.