Redação Pragmatismo
Homofobia 18/Apr/2019 às 12:24 COMENTÁRIOS

Desaparecido em Brumadinho entra em contato com a família

“Eu peço perdão a todos, peço perdão ao Meu Deus, peço perdão ao meu companheiro, que foi a pessoa que mais sofreu. Fiz tudo isso porque meu pai não aceitava o fato de eu ser gay e ser casado com um homem”. Evandro Schwirkowsky saiu de Brumadinho uma hora antes da tragédia

desaparecido em Brumadinho Evandro Schwirkowsky
Evandro Schwirkowsky, 23 anos (reprodução/facebook)

“Eu peço perdão a todos, peço perdão ao Meu Deus, peço perdão ao meu companheiro, que foi a pessoa que mais sofreu. Fiz tudo isso porque meu pai não aceitava o fato de eu ser gay e ser casado com um homem”

A frase acima foi dita pelo catarinense Evandro Schwirkowsky, de 23 anos. O jovem chegou a integrar a lista de desaparecidos no crime da Vale em Brumadinho (MG), mas conta que estava em Salvador (BA).

Evandro Schwirkowsky esteve na cidade de Brumadinho no dia do rompimento da barragem para procurar emprego, mas saiu do município uma hora antes da tragédia.

O pai de Evandro não aceitava o fato de ele ser homossexual e o jovem enxergou uma brecha para ir morar com o companheiro, Edemilson de Jesus Silva, sem ser pressionado e julgado pela família.

O namorado de Evandro acionou as equipes de resgate, informando que o namorado teria ido a Brumadinho em busca de emprego. Evandro voltou para Salvador mas ficou um tempo vagando pelas ruas da cidade, pois não queria ser encontrado pela família e também não queria prejudicar o companheiro.

O Instituto Geral de Perícias (IGP) realizou, em fevereiro, coleta de material genético do pai de Evandro para comparação genética das vítimas. Além do material genético, o IGP recolheu pertences do jovem, como escova de dentes, boné e roupas.

Pai de Evandro

O Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve na cidade de Corupá (SC) em fevereiro para coletar material genético do agricultor Mauricio Schwirkowsky, pai de Evandro.

Na época, Mauricio disse que estava muito chocado com a possibilidade de o filho estar entre as vítimas de Brumadinho. “Estou com 51 anos e estou acabado”, desabafou.

O agricultor afirmou, na ocasião, que Evandro chegou a morar com ele no ano passado, onde trabalharam na colheita de uma plantação de banana. Entretanto, o filho não “ficava muito tempo no lugar”.

“Ele sempre falava que o destino [dele] era Minas Gerais”, disse Mauricio, que se mostrou esperançoso. “Eu tenho quase certeza que não é ele [uma das vítimas]. Mas chegaram aqui e disseram: 99% de chance de ser ele”.

Nesta terça-feira (16), Evandro entrou em contato com a família para pedir perdão. “Estive mesmo em Brumadinho, mas, pela graça do nosso Deus, saí uma hora antes do ocorrido”.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários